Centro Municipal de Referência do Autismo completa oito meses de funcionamento

Local oferece atendimento multiprofissional especializado nas áreas de psicologia, terapia ocupacional, fisioterapia, fonoaudiologia, psicopedagogia, neurologia, enfermagem e assistência social

266

Inaugurado em agosto de 2020 com o objetivo de assegurar um novo modelo para atendimento integrado e multidisciplinar aos autistas de Araraquara e região, o Centro Municipal de Referência do Autismo chega a seu primeiro “Abril Azul” – mês de conscientização do autismo – com a marca de 70 pacientes em acompanhamento semanal nas diversas terapias ofertadas.
Único serviço inteiramente do SUS (Sistema Único de Saúde) especializado em autismo e habilitado pelo Ministério da Saúde em uma região que engloba cerca de um milhão de pessoas, a unidade funciona no Jardim Dom Pedro I, ao lado do Centro Especializado em Reabilitação (CER), que é responsável pela gestão do espaço e é vinculado à Secretaria Municipal de Saúde.
O Centro é resultado do projeto elaborado pelo grupo de trabalho instituído em abril de 2017, que reúne representantes das secretarias municipais de Saúde, Assistência e Desenvolvimento Social, Educação, e Planejamento e Participação Popular, além da sociedade civil organizada.
O local oferece atendimento multiprofissional especializado a crianças, jovens e adultos nas áreas de psicologia, terapia ocupacional, fisioterapia, fonoaudiologia, psicopedagogia, enfermagem, assistência social e neurologia.
Os pacientes chegam para diagnóstico e tratamento por meio de encaminhamento das unidades básicas de saúde e também por demanda espontânea.
O gerente do Centro de Referência, Luiz Armando Garlippe, explica que o local já retomou com segurança os atendimentos presenciais desde o segundo semestre de 2020 após um período de acolhimento remoto, feito por chamadas de vídeo e voz.
Contudo, Garlippe ressalta que o Centro de Reabilitação e o CER nunca fecharam as portas, e prestaram diversos atendimentos presenciais para os casos que não puderam ser atendidos à distância. “O atendimento presencial é necessário e muito importante no caso do autismo. Estamos tomando todos os cuidados sanitários para que possíveis riscos à contaminação do coronavírus sejam mitigados. Não houve notícia de nenhum caso de contaminação de pacientes que fizeram o atendimento presencial normal no Centro”, conta. Entre as medidas adotadas, está a triagem epidemiológica prévia de cada paciente que passa pelo atendimento presencial.
Garlippe conta que, no ano passado, com parte dos atendimentos realizados de forma remota em função da pandemia, o Centro de Referência elaborou uma cartilha a fim de instrumentalizar as famílias atendidas para que elas pudessem conseguir implementar uma rotina de atividades terapêuticas dentro de casa. Contudo, o gerente ressalta que “as famílias devem confiar nos atendimentos presenciais”.

Segundo a OMS (Organização Mundial da Saúde), a estimativa é de que 70 milhões de pessoas convivam com autismo em todo o mundo, sendo 2 milhões somente no Brasil. O transtorno é caracterizado por dificuldades na socialização, na comunicação e no comportamento.
As causas do autismo são desconhecidas e não existe cura, mas, quando diagnosticado precocemente, existem mais chances de melhora do quadro e do desenvolvimento da criança.
O Dia Mundial da Conscientização do Autismo é lembrado em 2 de abril, conforme estabelecido pela ONU (Organização das Nações Unidas) em 2007. A data é simbolizada pela cor azul, pois o autismo é mais comum em meninos.
Quem desejar entrar em contato com o Centro Municipal de Referência do Autismo pode enviar um e-mail para o endereço centrodoautismo@araraquara.sp.gov.br ou ligar para o número (16) 3335-9463, de segunda a sexta, das 7h às 18h.