‘Brasil tem dívidas históricas com o continente africano’, diz Edinho em live do Dia da África

Evento online, nas redes sociais da Prefeitura, fechou o mês de programação ‘Histórias de maio que não foram contadas’

25

O prefeito Edinho participou de uma live em alusão ao Dia da África, veiculada no Facebook da Prefeitura de Araraquara, na segunda-feira (24), e reforçou que o Brasil e o mundo têm “dívidas históricas com o continente africano”. O evento online fechou o mês de programação “Histórias de maio que não foram contadas”.

Como debatedores, a live teve participações especiais da primeira-dama da República de Cabo Verde, Dra. Lígia Dias Fonseca, e do presidente da Câmara de Comércio, Indústria, Agricultura e Serviços Brasil – Guiné-Bissau e diretor de Negócios Internacionais para África no Instituto Brasileiro de Comércio Exterior, Julio António Aponto Té.

Também foi realizada uma apresentação cultural afro, sob a coordenação da coreógrafa araraquarense Sabrina Kelly, e uma exibição do Coletivo Cultural Amigos do Centro Afro.

“É um momento de celebração e de reflexão muito importante para entendermos a importância da África. O Brasil e o mundo têm dívidas históricas com o continente africano. Precisamos construir políticas públicas para que o Brasil seja um país cada vez mais inclusivo e mais justo”, destacou Edinho.

Estiveram na atividade online a vereadora Thainara Faria (PT), que representou a Câmara Municipal, e Maria Augusta Luiz Antonio, assessora do vereador João Clemente (PSDB); a secretária de Direitos Humanos e Participação Popular, Amanda Vizoná; a coordenadora de Políticas Étnico-Raciais, Alessandra Laurindo; o presidente do Comcedir (Conselho Municipal de Combate à Discriminação e ao Racismo), Fábio Mahal; o presidente do Conselho Estadual de Participação e Desenvolvimento da Comunidade Negra de São Paulo, Gil Clarindo dos Santos; a coordenadora estadual de Políticas para a População Negra e Indígena, Rosângela de Paula; e o secretário-executivo do Centro Estadual de Equidade Racial, Ivan Lima.

Programação

A programação online temática “As histórias de Maio que não foram contadas” teve início na noite de 13 de maio, com a palestra virtual do professor, historiador, escritor e ativista Carlos Machado – Gyasi Kweisi, que discorreu sobre as histórias negras omitidas na literatura e os heróis invisibilizados pela sociedade.

Do dia 14 até a segunda-feira (24) foram apresentados, nas redes sociais da Prefeitura, cards sobre inventores negros, visando ampliar o diálogo, valorizar a importância de referências negras e evidenciar grandes ícones presentes nos eixos da Ciência e Tecnologia.

Na quinta-feira (20) foi lançada a cartilha digital: “As histórias de maio que não foram contadas”, com um resumo sobre as Revoltas Negras e todas as formas de resistência que ocasionaram os movimentos abolicionistas no País.

A coordenadora municipal de Política Étnico-Raciais reitera que o objetivo dessa programação é trazer um conhecimento favorável à educação antirracista e ressignificar a visão de uma história que foi erroneamente contada.

“Em Araraquara temos instituído a semana municipal da África visando promover a unidade, a integração, a solidariedade e a coesão entre os povos africanos, como forma de gerar a interconexão entre nossos países”, ressalta Alessandra Laurindo.