Bolsonaro atinge recorde de rejeição e chega a 63%, diz pesquisa CNT/MDA

Segundo pesquisa, ex-presidente Lula tem uma vantagem de 14,7% sobre Bolsonaro em 2022: são 41,3% do petista e 26,6% do atual mandatário

93

Pesquisa CNT/MDA divulgada nesta segunda (5) mostra que a rejeição a Jair Bolsonaro chegou a 63%, o mais alto número desde o início do mandato do presidente. No início da atual gestão, sua rejeição era de 28%.

Desde a última pesquisa, feita em fevereiro, a rejeição cresceu em 12%.

A aprovação, por outro lado, diminuiu em 10% desde a última pesquisa (fevereiro/21) e 23% desde a primeira sobre atual governo (fevereiro/2019).

Esses são os piores números de Bolsonaro nos últimos dois anos e meio.

O recorde de rejeição se dá após serem revelados escândalos envolvendo a aquisição de vacinas.

A pesquisa também mostra que a prioridade de 45,1% dos brasileiros na próxima eleição é “Bolsonaro não ser reeleito”.

O levantamento também mostrou que o ex-presidente Lula tem uma vantagem de 14,7% sobre Bolsonaro em 2022: são 41,3% do petista e 26,6% do atual mandatário.