Boi quer presidir a Câmara com bom diálogo com vereadores e com a população

“Tanto eu, como a Thainara, o Rafael e o Lucas teremos que superar nossas ideologias partidárias e trabalhar com muita união para a Câmara dar uma resposta positiva para nossa população”, acredita o presidente da Câmara

162

José Augusto Chrispim

O vereador Aluísio Braz (MDB), o Boi, foi eleito por 13 votos para presidir a Câmara Municipal de Araraquara pelos próximos dois anos, na 1ª sessão do ano realizada no dia 1 de janeiro de 2021. Boi substituiu o ex-vereador Tenente Santana, também do MDB, que não se reelegeu.

Para o cargo de presidente, além de Boi, candidataram-se os vereadores Luna Meyer (PDT) e Dr. Marcos Garrido (Patriota). É a segunda vez que o vereador assume a presidência da Câmara Municipal: “Aprendi desde cedo na política que, para ter uma grande trajetória como representante do povo, é preciso respeitar o contraditório. Não precisamos concordar, mas temos que respeitar. O povo espera as mudanças e os projetos dessa Casa. Nós estamos aqui para trabalhar e fazer com que essa instituição seja forte”, falou Boi durante a posse para a 18ª legislatura da Câmara.

A nova mesa diretora da Câmara que foi eleita para o biênio 2021/2022, é composta também pela vice-presidente Thainara Faria (PT), o 1º secretário Rafael de Angeli (PSDB) e pelo 2º secretário Lucas Grecco (PSL).

Carreira política

Aluísio Braz Iniciou sua vida política como vereador eleito para a 15ª Legislatura – período de 2009 a 2012. Político atuante desde seu primeiro mandato foi eleito presidente da Câmara Municipal de Araraquara para o biênio 2011-2012. Foi reeleito vereador para a 16ª Legislatura de 2013 a 2016, sendo o mais votado da cidade nessa Legislatura. Reconhecido no meio político, exerceu o papel de líder do governo municipal no Legislativo araraquarense.

Boi atuou em várias Comissões Especiais (CE), como a de Revisão do PCCV da Prefeitura do Município de Araraquara e da representação para apurar supostas irregularidades no tratamento empregado aos detentos da Penitenciária Regional de Araraquara e do Centro de Detenção Provisória (CDP). Também representou a Câmara Municipal no Conselho de Alimentação Escolar de Araraquara. Atuou como membro e relator em Comissão Especial de Inquérito (CEI).

Durante seus mandatos na Câmara Municipal, foi líder do partido ao qual pertenceu. Foi secretário municipal de Governo, de Comunicação e de Esportes e Lazer. Concorreu como candidato a prefeito nas eleições municipais para 2017.

Expectativas

Boi falou à reportagem sobre as suas expectativas para os próximos dois anos à frente da presidência e sobre o que espera de seu terceiro mandato como vereador.

Veja a entrevista na íntegra:

O Imparcial: Você esperava ser eleito presidente da Câmara neste primeiro ano de mandato?

Boi: “Literalmente queria muito ser eleito novamente para ter um novo mandato, com mais experiência e com muita vontade, mas depois de eleito e com uma renovação de doze vereadores, meu nome foi se fortalecendo, e por ser de muito diálogo em uma renovação com vereadores de posicionamentos e trabalhos de diferentes segmentos, meu nome foi escolhido pela grande maioria para dar condições de igualdade aos mandatos dos vereadores. Respeitando as diferenças de todos. Confesso que fiquei surpreso e muito honrado”.

O Imparcial: A sua votação para a presidência da Câmara contou com votos de vereadores de partidos de direita e até de esquerda. O que isso mostra, em sua opinião?

Boi: “Mostra que para ser Presidente, o vereador tem que saber respeitar o contraditório e entender que os dezoito vereadores independente de sigla partidária, de bandeira, de atuação que defendem, foram eleitos e escolhidos pelo povo e merecem todo respeito que a importância do cargo exige. Os vereadores têm que acreditar que o Presidente tem esta capacidade de além de administrar a instituição, administrar também a parte política com igualdade aos vereadores”.

O Imparcial: O MDB vai compor a base do governo Edinho (PT) ou fará parte da oposição?

Boi: “O MDB se reunirá neste mês de Janeiro para avaliar todo o processo que ocorreu durante as eleições de vereadores e Prefeito e também os novos caminhos do partido, tanto na reestruturação do MDB local e também como vamos atuar no novo mandato do Prefeito Edinho. Com certeza, será uma discussão muito forte e responsável para que a maioria do partido decida o rumo que tomaremos”.

O Imparcial: Você acredita que o prefeito Edinho enfrentará uma maior resistência da oposição e tenha mais dificuldade para aprovação de projetos na Câmara nesta legislatura?

Boi: “A nova mesa da Câmara não será influenciadora em decisões de aprovações ou rejeições de projetos do Executivo, mas sempre dará condições do governo dialogar e explicar todos os projetos. Na minha opinião se o governo conseguir discutir de forma positiva e, muitas vezes aceitar as sugestões dos vereadores, na maioria dos projetos conseguirá êxito”.

O Imparcial: Qual é a linha política que você pretende seguir neste mandato? Quais são suas expectativas?

Boi: “Uma linha de muita ética, transparência e um diálogo muito próximo com a população e dentro desta atuação, uma ação muito forte nas demandas da Saúde, no geral sempre bem preparado para debater os mais variados temas do dia a dia da cidade”.

O Imparcial: Em uma Câmara tão heterogênea, você acredita que os vários setores da sociedade estarão representados?

Boi: “Esta nova formação da Câmara nos traz lideranças com biografias e atuações fortes em vários segmentos da cidade, mas principalmente em um momento de pandemia em que a cidade terá um enfrentamento muito forte em vários projetos, os vereadores terão que, não só atuar pela principal bandeira que foi eleito, mas se preparar muito com responsabilidade para decidir os rumos da nossa cidade. Este será um grande desafio da nova mesa Diretora, tanto eu, mas também Thainara, Rafael e Lucas teremos que superar nossas ideologias partidárias e trabalhar com muita união para a Câmara dar uma resposta positiva para nossa população”, finalizou o presidente da Câmara Municipal.