Araraquara segue na fase vermelha do Plano SP

O município e outras 16 cidades permanecem na mesma fase pela terceira semana por conta da lotação dos leitos de UTI

96

Na 23ª atualização do Plano São Paulo, que determina as regras da quarentena contra o novo coronavírus, Araraquara segue em sua fase mais restritiva – a vermelha. O anúncio foi feito em coletiva de imprensa do governo do estado, nesta sexta-feira (26).

Araraquara, São Carlos e outros 15 municípios da região permanecem na fase vermelha pela terceira semana consecutiva devido a lotação dos leitos de UTI, que chega a 90,4%, na região.

Na fase vermelha são permitidos apenas serviços essenciais. Araraquara tem decretos diferentes porque está em ‘lockdown’ até este sábado (27) por conta da crise hospitalar pela alta de casos e internações.

Permanecem na fase vermelha

DRS III – Araraquara: Américo Brasiliense, Araraquara, Boa Esperança do Sul, Descalvado, Dourado, Gavião Peixoto, Ibaté, Matão, Motuca, Nova Europa, Porto Ferreira, Ribeirão Bonito, Rincão, Santa Lúcia, São Carlos e Trabiju. (leitos de UTI da regional têm ocupação de 90,4%).

Endurecimento

Segundo o novo plano, seis regiões regrediram de fase. Além da Grande São Paulo, as regiões de Campinas, Sorocaba e Registro foram da fase amarela para a laranja, enquanto Marília e Ribeirão Preto saíram da fase laranja para a vermelha. Somente a região de Piracicaba apresentou melhora, progredindo para a fase amarela. O restante do estado permaneceu estável.

As medidas foram tomadas devido ao recorde de internações em leitos de UTIs (Unidade de Tratamento Intensivo) voltados para pacientes com covid-19. Segundo dados do governo, 6.767 leitos estavam ocupados nessa quarta-feira (24). O recorde anterior era de julho de 2020, com 6.250. O estado também registrou aumento de 13% em novas internações (1.740) de 21 a 25 fevereiro em relação à semana anterior.

Atualmente, 46% dos pacientes internados estão em UTI, segundo levantamento ontem, e 54% na enfermaria. De acordo com o governo, o maior percentual no ano passado foi de 40% na UTI, em 15 de julho, com 60% na enfermaria. O estado também teve aumento de 4% no número de mortos (231) e 6% no número de casos (9.117) em relação à semana passada.

Na quarta-feira (24), o governo já havia anunciado que o estado montará operações de fiscalização para tentar restringir a circulação de pessoas no estado entre as 23h e as 5h.

Chamada de “toque de restrição” pelo governador João Doria, a medida será voltada sobretudo a aglomerações nas ruas, visto que, na prática, as atividades não essenciais só estão liberadas até as 22h. A medida vai valer a partir desta noite (26) e vai até 14 de março.