Araraquara registra nova queda no valor da Cesta Básica

Pelo terceiro mês consecutivo, itens tiveram redução de preço, aponta pesquisa do Sincomercio

18

O preço da cesta básica araraquarense caiu pelo terceiro mês consecutivo, como aponta a pesquisa mensal do Núcleo de Economia do Sincomercio Araraquara. De acordo com o levantamento, em março de 2021, o valor médio dos itens que compõem a cesta registrou queda de 0,3%. Ou seja, o consumidor que, em fevereiro de 2021, desembolsava R$ 764,09 para adquirir os produtos, atualmente gasta R$ 762,08, uma diminuição de R$ 2,01.

Na comparação mensal, considerando o preço unitário médio dos 32 itens analisados, 21 apresentaram alta nos preços, enquanto 11 ficaram mais baratos em março de 2021. Na categoria de alimentação, a elevação atingiu 14 dos 23 itens; na de higiene pessoal, três de cinco produtos tiveram reajuste; e na de limpeza doméstica, todos os quatro produtos que compõem o grupo ficaram mais caros. Por outro lado, as reduções foram observadas em nove alimentos, dois itens de higiene pessoal e em nenhum produto do grupo de limpeza doméstica, mostrando que, apesar da queda geral, manter a higienização da casa está mais caro.

Considerando o preço médio unitário, as maiores elevações estão na farinha de mandioca torrada (+13,2%), ovos brancos (+11,2%), alho (+9,7%), detergente líquido (+6,1%) e farinha de trigo (+5,2%). Enquanto as maiores reduções foram percebidas na batata (-15,0%), no queijo muçarela (-9,8%), na carne de primeira – contrafilé (-6,1%), no arroz branco (-3,8%) e na salsicha avulsa (-3,4%).

 “Mesmo com a maior parte dos itens apresentando alta na comparação mensal, outros que têm peso maior no custo total da cesta, como a carne de primeira (contrafilé) e o arroz branco, registraram queda expressiva e foram determinantes para o resultado de queda em fevereiro”, explica João Delarissa, analista econômico do Sincomercio Araraquara.

Ainda segundo ele, os preços da carne bovina ainda estão em patamares elevados no Brasil e em conjunto com a queda da renda per capita da população, vem sendo observado um processo de substituição do consumo dos cortes mais nobres, como o contrafilé, pelos cortes mais baratos, como o acém bovino, ou por outras alternativas, como o frango e o ovo. “Desconsiderando as possíveis alterações pelo lado da oferta, esse redirecionamento da demanda para o consumo das proteínas mais baratas tende a reduzir o preço dos itens substituídos e elevar o dos substitutos ao longo do tempo, como ficou evidente nos números de março.”

Variações interanuais

Apesar das reduções mensais, na comparação com março de 2020, a pesquisa identificou elevação de 20,5% no custo médio da cesta básica em Araraquara. O consumidor que, no ano passado, desembolsava R$ 632,31 para adquirir todos os itens avaliados, atualmente investe R$ 129,77. A alimentação (+24,2%) foi a que mais aumentou, seguida do grupo de higiene pessoal (+5,5%) e limpeza doméstica (+4,8%).