Araraquara recebe plenária “Agora é Ciro”

Vice-presidente do PDT, Antonio Neto fala à reportagem sobre momento atual da política no Brasil e do Projeto Nacional de Desenvolvimento defendido por Ciro Gomes

51

Acontece neste sábado (5) a plenária virtual “Agora É Ciro” para a região de Araraquara. O objetivo do evento é organizar os apoiadores de Ciro Gomes para a construção de Projetos Regionais de Desenvolvimento, com base no Projeto Nacional de Desenvolvimento defendido pelo líder do Partido Democrático Brasileiro (PDT).

A plenária será realizada hoje (5) pelo Zoom, a partir das 15h30. As inscrições podem ser feitas em http://bit.ly/CiroAraraquara. O link será enviado aos participantes até uma hora antes do evento.

O evento será conduzido por Antonio Neto, vice-presidente estadual do PDT. Antonio concedeu entrevista exclusiva ao O Imparcial, onde fala sobre o momento complicado vivido pelo país e sobre a esperança do partido em uma possível eleição de Ciro Gomes em 2022, para trabalhar pela de reunificação do povo brasileiro.

Getulista convicto

“Sou um trabalhista getulista convicto. Dirigente sindical há mais de 30 anos. Fui presidente da Federação Sindical Mundial e atualmente sou presidente do Sindpd e da Central dos Sindicatos Brasileiros. Militei por mais de três décadas no MDB, desde a luta pela anistia e pela redemocratização. Em 2017, após os ataques do Governo Temer aos trabalhadores, deixei a legenda e migrei para o PDT, onde assumi a missão de organizar o PDT na capital paulista. Fui candidato ao Senado em 2018, quando obtive mais de 350 mil votos. Em 2020, disputei a vice-prefeitura de São Paulo ao lado do ex-governador Marcio França quando recebemos mais de 700 mil votos”, se define Antonio.

Veja a entrevista com Antonio Neto na íntegra:

O Imparcial: Como o senhor vê o cenário político atual no Brasil?

Antonio: “Uma tragédia. Temos um Governo negacionista, conspiracionista e guiado por um projeto anti-povo. Nosso Congresso Nacional está completamente desconectado dos interesses da nossa população, ao invés de viabilizar o auxílio emergencial em R$ 600,00. Quem foi que pediu para pautar a destruição do serviço público e a entrega do Banco Central para o sistema financeiro? O povo quer saber de vacina no braço e comida no prato. Estão destruindo o país em nome de um projeto que está superado no mundo inteiro, inclusive nos EUA, que esse pessoal sempre usou como referência”.

O Imparcial: O senhor acredita que a CPI da Covid-19 possa resultar na abertura de impeachment contra o presidente Jair Bolsonaro?

Antonio: “Eu acho que a CPI já tem mostrado resultados. Está escancarando os crimes cometidos pelo Governo genocida sob liderança de Jair Bolsonaro. O presidente está sentindo o calor do povo, basta ver o discurso dele no pronunciamento na rádio e TV. Vamos ver o relatório do Senador Renan. Precisamos fazer justiça pelas mais de 460 mil vidas vítimas do negacionismo bolsonarista”.

O Imparcial: O senhor acha que a eleição presidencial de 2022 ficará polarizada entre Bolsonaro e Lula? Ou Ciro Gomes tem chance de levar uma terceira via para o 2º turno?

Antonio: “As pesquisas atuais são fotografias do momento, mas não acho que é um cenário consolidado. Bolsonaro está em queda livre. Quem vai querer estar junto de um candidato como Bolsonaro? Lula tem seus méritos, mas representa um passado que já não nos cabe mais. Precisamos de um Governo que se construa a partir de um projeto de nação. Ciro representa um Projeto Nacional de Desenvolvimento que tem como eixo a construção de um Brasil justo, democrático e soberano. Um projeto acima de interdições ideológicas que una quem trabalha e produz. Não precisamos de uma terceira via, mas sim da via da esperança”.

O Imparcial: Qual é a importância para o PDT ter conseguido eleger uma vereadora em Araraquara? (Luna Meyer)

Antonio: “Mostra a força do partido no interior do nosso estado. O PDT está cada vez mais forte e precisa de representantes nas câmaras municipais, assembleias legislativas e no Congresso Nacional que representem as bandeiras do trabalhismo”.

O Imparcial: O senhor acredita que em uma união entre partidos de esquerda para derrotar Bolsonaro em 2022?

Antonio: “O Brasil não cabe na esquerda. É óbvio que precisamos derrotar Bolsonaro, mas não pode ser algo na base da negação ao Bolsonarismo, precisamos ir além. Precisamos reconquistar o nosso povo através de um projeto que inspire, mobilize e represente o povo brasileiro”.

O Imparcial: O que Araraquara pode esperar, caso Ciro Gomes venha a ser eleito presidente?

Antonio: “Pode esperar um líder inspirador que ama o nosso país. Tenho certeza que o Governo Ciro resgatará o orgulho de ser brasileiro com um presidente que tem compromisso com a democracia, com a educação, com o SUS, com o desenvolvimento agrário, com a reindustrialização do país e que governará para todos e não somente para os seus eleitores”, finalizou.