Araraquara: de modelo de controle, a epicentro da Covid-19 na região

Com mais três mortes nas últimas 24 horas, cidade chega aos 170 óbitos decorrentes do Coronavírus

393

José Augusto Chrispim

Se até o final de 2020 Araraquara era vista como modelo regional e até estadual no controle da pandemia do novo Coronavírus, hoje a cidade vive uma situação quase que fora de controle e assustadora para boa parte da população. Hospitais lotados e um grande número de pessoas infectadas pelo novo coronavírus todos os dias mostram que a situação, que já é alarmante, pode ser ainda pior. O próprio prefeito Edinho Silva (PT) declarou recentemente que Araraquara pode viver em breve situação parecida com a de Manaus (AM), onde muitas pessoas morreram por falta de atendimento e de oxigênio, principalmente por falta de empenho do Ministério da Saúde.

Em Araraquara, a stiuação que vem piorando a cada dia, parece estar mais ligada à falta de consciência das pessoas. Um exemplo disso são as enormes filas formadas nos supermercados e postos de combustíveis, logo após o anúncio do novo Decreto Municipal que endureceu ainda mais as medidas de distanciamento social na tentativa de frear o avanço da doença na cidade.

O Decreto levou em consideração principalmente os números de infectados que tiveram um crescimento muito rápido. De acordo com os dados da Secretaria de Saúde do Município, no mês de agosto de 2020, pico da doença em Araraquara até então, a cidade chegou a ter 50 leitos de enfermaria e 14 leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) ocupados, enquanto que, nessa sexta-feira (19), tínhamos 159 leitos de enfermaria e 68 leitos de UTI ocupados, o que representa um aumento de 318% de leitos de enfermaria ocupados e 485% de aumento de leitos de UTI ocupados.

O decreto ressalta também que, em menos de dois meses deste ano de 2021, já foram contabilizados 78 óbitos como decorrência da COVID-19. Esse número chega bem próximo dos 92 araraquarenses que perderam as vidas, de março a dezembro de 2020.

Os números mostram a iminência do colapso na rede pública e privada de saúde de Araraquara ante o aumento do número de contaminados que demandam intervenção hospitalar. Outro problema apontado no documento é o índice insatisfatório de adesão ao distanciamento social pelos araraquarenses.

Lockdown

Vários países de todo o mundo estão reafirmando as restrições na tentativa de conter o avanço da pandemia. Em Hong Kong, milhares de habitantes de um dos bairros mais pobres e mais populosos do local obedecem o primeiro lockdown no território neste final de semana. Israel exige teste negativo da Covid-19 a partir de hoje a quem entrar no país. Novo lockdown neste final de semana também na Colômbia, que registra mais de 50mil mortos pela doença.

Em Araraquara, o lockdown total vai ter duração de apenas 60 horas, entre as 12h deste domingo (21) até as 23h59 da terça-feira (23). Esta é mais uma das muitas medidas tomadas pela Prefeitura para evitar o colapso total do sistema de saúde. O governo do Estado de São Paulo prometeu, nesta semana, abrir mais 70 leitos para o tratamento da Covid-19 na cidade, porém, se o avanço da doença continuar no mesmo ritmo, provavelmente eles não resolverão a situação.

Somente nas últimas 24 horas mais três araraquarenses perderam as vidas em decorrência do Coronavírus. As vítimas foram duas mulheres com idades de 82 e 83 anos, e um homem, de 65 anos.

Por isso, as pessoas precisam se conscientizar que vivemos um momento muito difícil e cada um precisa fazer a sua parte.

Mais 248 casos

Araraquara registrou neste sábado (20), mais 171 casos positivos de Coronavírus, o equivalente a 46% de 369 amostras analisadas na Unesp e na UPA da Vila Xavier. Além destes, mais 77 foram positivados em laboratórios da rede complementar particular, totalizando 248 novos casos.
Portanto, agora são 13.237 casos em Araraquara. Do total de confirmados, 1.453 permanecem em quarentena e 11.614 já saíram. Aguardam resultado de exames 350 amostras.
Hoje, 213 pacientes estão internados. Destes, 148 estão em enfermaria – 2 suspeitos e 142 confirmados. E 65 estão na UTI – 4 suspeitos e 61 confirmados. Do total de 213 internados, 179 são moradores de Araraquara e 34 são de outros municípios e foram transferidos para hospitais da cidade.
Com relação às internações nos serviços hospitalares que disponibilizam leitos para Covid-19 (públicos e privados), a cidade conta hoje com uma taxa de ocupação de 100% de leitos de enfermaria e 100% de UTI.
Hoje, a Santa Casa de Araraquara tem 17 pacientes internados com Covid-19, a Unidade de Retaguarda do Melhado tem 24 pacientes e o Hospital de Campanha tem 36 pacientes.
Foram notificados, até o momento, 170 óbitos decorrentes de Coronavírus.

Foto: Divulgação