Apresentações de artistas de Araraquara marcam o domingo do Festival Aldir Blanc

Festival Aldir Blanc teve início em janeiro e segue até o próximo dia 10, reunindo diversos artistas da cidade, de variadas linguagens

46

Diversos artistas de Araraquara integram a programação do Festival Aldir Blanc neste domingo, 07 de março. A programação gratuita pode ser conferida no canal da Prefeitura de Araraquara, no YouTube, a partir das 20 horas, sendo uma ótima opção para a família se entreter em casa, consumindo arte e cultura e incentivando a produção dos artistas locais. 

As atrações do sábado são as seguintes: “Mistérios do Invisível”, de Vita Pereira; “Românticas”, de Alex Oliveira; “Forró Instrumental”, de Trio Zabumbêvideodança, com grupo Filhas da Terra; “Cotidiano”, de Wendy Moretti Maryama; “Café Brasileiríssimo com Duo Grooffee” (instrumnetal) – Felipe dos Santos e Adriano Magrão; e “O Sonido da Rotina”, de Guilherme Furlan.

Os trabalhos apresentados foram selecionados por meio do edital da Lei Aldir Blanc, que dispõe sobre ações emergenciais destinadas ao setor cultural a serem adotadas durante o estado de calamidade pública decorrente da pandemia da Covid-19. Esta iniciativa do Governo Federal, em Araraquara, conta com o suporte da Prefeitura de Araraquara – por meio da Secretaria Municipal de Cultura e do FUNDOARA.

A programação do Festival Aldir Blanc, ainda nesta semana, no dia 08, às 15 horas, apresenta atividades com oficinas culturais; depois, no dia 09, às 20 horas, haverá outros vídeos com mais apresentações variadas. Por fim, no dia 10, três podcasts serão apresentados a partir das 20 horas.

Festival Aldir Blanc – 07.03: apresentações 

Mistérios do Invisível”, de Vita Pereira  

Este vídeo performance aborda a tecnologia de vida preta travestigenere. A partir de registros pessoais, se constrói uma narrativa invisível para fugir das políticas de morte, a necropolítica. “Ser invisível, mas não ser apagada” – essa é a questão!

“Românticas”, de Alex Oliveira 

O cantor, compositor e multi-instrumentista Alex Oliveira homenageia grandes compositores da MPB, em um repertório romântico, com nomes como: Ivan Lins, Guilherme Arantes e Flávio Venturini. 

“Forró Instrumental”, de Trio Zabumbê 

Formado em 2014 por Fabiano Marchesini (guitarra), Cleber Fogaça (baixo acústico) e Beto Figueiredo (bateria), o Trio Zabumbê apresenta um repertório de jazz instrumental passando pelo blues, soul e música brasileira, com uma sonoridade forte, moderna e marcada pela criatividade e improvisação.

“Dança Afro”, com grupo Filhas da Terra 

O grupo Filhas da Terra traz referências da Dança Afro entre: dois corpos de mulheres negras, a força e a raiz de sua ancestralidade. Os corpos negros que se manifestam contra o preconceito e contra o racismo, trazem um olhar sobre a liberdade de se expressar e valorizar a cultura afro-brasileira. 

“Cotidiano”, de Wendy Moretti Maryama 

Trazer o cotidiano em cena para refletir e questionar sobre o que nos une enquanto seres humanos.

“Café Brasileiríssimo com Duo Grooffee” (instrumental) – Felipe dos Santos e Adriano Magrão 

Dando protagonismo ao contrabaixo e a bateria, os músicos instrumentistas Adriano Magrão e Felipe dos Santos desenvolvem novos arranjos e pesquisam possibilidades tecnológicas para compor fusões de estilos musicais em um repertório que transita entre o pop e o baião, do clássico ao popular. 

“O Sonido da Rotina”, de Guilherme Furlan 

O curta metragem conta a história de José, um homem que vive apressado e não dá importância às pequenas coisas da vida, que vê seu modo de vida alterado depois de sofrer um acidente e perder a audição. Quem assina a obra é Guilherme Furlan, estreante como diretor e roteirista, e conta com atuação de Rodrigo Rocha.