Após três anos da lei aprovada, motoristas por aplicativos lançam novos projetos

Categoria tem projeto de implantação de uma cooperativa dos motoristas de aplicativos em Araraquara

19

Lei Municipal nº 9.261, de autoria do vereador Rafael de Angeli (PSDB), que regulamentou, em 2018, o serviço de transporte privado individual de passageiros, como Uber e 99, foi um divisor de águas na cidade e continua gerando possibilidades para aqueles que veem uma oportunidade a mais no empreendedorismo.

Provocada pelo parlamentar, uma reunião ocorrida na tarde de quinta-feira (29), envolvendo os representantes da categoria, Poder Executivo e Câmara Municipal, tratou do projeto de implantação de uma cooperativa dos motoristas de aplicativos em Araraquara.

Milton Roberto de Freitas Luís, um dos idealizadores da iniciativa, informou que a cooperativa já está estabelecida legalmente. O que falta é a implementação de alguns objetivos. “O que precisamos é do apoio da Prefeitura, através de um projeto que nos foi apresentado essa tarde. A ideia é construir uma parceria, e, com os meios que o Poder Público disponibiliza, nos auxiliar na execução dos projetos que a cooperativa já tem.”

A proposta inicial é ter um ponto de apoio para os motoristas, com escritório, condições de segurança para pequenos descansos, local para aquecer a alimentação, sanitários, tudo para facilitar o dia a dia dos profissionais. Luís, o agora presidente da Coomappa, destacou o projeto mais ambicioso: a criação de um aplicativo local, para abrigar todos os motoristas e que seria da Prefeitura e da cooperativa de transporte. Essa iniciativa, segundo ele, proporcionaria melhores condições de trabalho e traria dividendos também para a cidade, já que os incentivos pagos pela classe seriam aqui recolhidos.

Coordenadora de Trabalho e Economia Criativa e Solidária, Camila Capacle acolheu a ideia da Coomappa e informou que o Executivo tem o projeto “Coopera Araraquara”, instituído recentemente, que poderá oferecer toda assessoria técnica, além de tentar implementar um programa que possa subsidiar algumas políticas públicas para que eles entrem efetivamente no mercado e que todas as cooperativas possam prosperar.

Para Angeli, a reunião foi extremamente proveitosa. “O que os motoristas por aplicativos tinham de dúvidas iniciais, de como trabalhar com o cooperativismo, foram sanadas, o que é importante para amadurecer os planos e concretizá-los. A Camila já levou a pauta dessa reunião para a secretária responsável e já estamos nos mobilizando para um segundo encontro, onde as diretrizes serão traçadas para dar o ‘star’ na cooperativa e colocar mãos à obra, para, em um futuro bem próximo, também colocar em prática esses projetos, que são importantes para a categoria e que vão refletir em melhorias para a cidade e para seus usuários.”