Aluna de Biologia da Uniara é contemplada com bolsa do PIBITI por estudo de teste para detecção de greening

Trabalho é orientado pela professora Eliane Trovatti

41

A estudante do terceiro ano do curso de Biologia da Universidade de Araraquara – Uniara, Larissa Ferreira de Macedo, foi contemplada pelo Programa Institucional de Bolsas de Iniciação em Desenvolvimento Tecnológico e Inovação – PIBITI/CNPq da universidade pelo trabalho “Desenvolvimento de um método cromatográfico para identificação de GREENING”, desenvolvido juntamente com as alunas Bruna Carolina Dorm e Carolina Santos, sob orientação da professora Eliane Trovatti.

“O projeto tem como objetivo a realização de um teste para detectar o greening, doença presente em citros que devasta muitas plantações e causa grandes prejuízos aos citricultores. Esses testes seriam realizados em campo. São de baixo custo e fácil utilização. O estudo está em fase de desenvolvimento”, explica Larissa, em nome de seu grupo, mencionando que ainda não há resultados da pesquisa.

Ela comenta que, “com esse estudo, os produtores de citros – laranja – se beneficiarão, já que o teste seria de baixo valor econômico e com resultados bem rápidos, o que evita a proliferação das doenças para outras plantas sadias”.

Eliane conta que, no início das definições do projeto de Larissa, “ela deixou bem claro que gostava da área agrícola, controle biológico, plantas, doenças etc.”. “Pensamos então em direcionar o trabalho na busca de algum problema que pudéssemos propor uma solução, contemplando também sua área de interesse. Foi quando surgiu a ideia do desenvolvimento de um kit para diagnóstico do greening. Esse é um projeto importante porque poderia antecipar a descoberta dá doença antes de seu alastramento para outras plantas”, destaca.

Atualmente, de acordo com a orientadora, a detecção da doença é feita majoritariamente por biologia molecular, por meio da identificação do microrganismo. “A nossa proposta é a detecção precoce realizada em campo, pelos próprios agricultores. Esse processo pode ter a vantagem de ser mais rápido do que a detecção laboratorial, evitando o espalhamento dá doença”, finaliza Eliane, reforçando que “uma vantagem do kit, se tudo der certo na pesquisa, é o baixo custo e a fácil realização do teste”.

Informações sobre o curso de Biologia da Uniara podem ser obtidas no endereço www.uniara.com.br ou pelo telefone 0800 55 65 88.