Aberta em Paris exposição França-China Arte-Expo com nanoarte brasileira

Trabalho do brasileiro Enio Longo, marca presença junto com 22 artistas de 8 países

50

Foi aberta em Paris (França) nessa segunda-feira (3) uma exposição internacional com o tema Metamorfose que reúne 22 artistas de 8 países, entre eles o brasileiro Enio Longo que mostra sua nanoarte ao mundo em telas e um vídeo especial para esta exposição, que tem a curadoria do francês Jean Jacques Humbert.

Pioneiro na nanoarte junto ao Centro de Desenvolvimento de Materiais Funcionais (CDMF), Enio é o único brasileiro na exposição França-China Arte-Expo ao lado dos artistas Renée AMITAI, Jean Louis BIGOT, Pierre CORNUEL, Manuela NOBLE, Sia SARIMA, BAKAOS/Barbara Kaad Ostenfeld, Dana Milik, CAUSSIN-Belon Poupée, Michel HUMBERT, Denise BRIMSON, BIGOT Jean-Louis H., Lili TAO, CHAN Shing Kau, Wang Quan Da, Chu Tat Shing, LAM Tiang Xing, TUNG Christina, Li Fanf, MIKHAILOF Oleg, LAM WU Fui, Li Fang, Maro SARGSYAN e Jean Jacques HUMBERT.

Em suas obras, o artista brasileiro trabalha as interfaces da natureza, ciência e arte, penetrando no imaginário ao revelar aos olhos o oculto da natureza, tendo por base imagens obtidas por intermédio de microscópios eletrônicos de alta precisão geradas na análise de diversos tipos de materiais nos laboratórios do CDMF, um Centro de Pesquisa, Inovação e Difusão (CEPID) apoiado pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP) com sede na Universidade Federal de São Carlos (UFSCar).

Além da nanoarte, Enio apresenta cinco pinturas com várias alternativas de materiais e um vídeo produzido em parceria com Leopoldo Longo e supervisão de Elson Longo, diretor do CDMF, no qual enfatiza os cuidados para combater a COVID-19 e valoriza grandes cientistas, entre os quais o médico e sanitarista brasileiro Osvaldo Cruz, que liderou o controle das epidemias de febre amarela, varíola e peste bubônica no país.

Em razão da crise sanitária do novo coronavírus a exposição é realizada em uma galeria virtual 3D composta por três salas e pode ser visitada por um período de dois meses. Na plataforma virtual, os visitantes encontram todas as informações sobre os artistas e as obras.

Na apresentação o curador escreve que “o tema Metamorfose é sobre a crise de saúde da COVID-19 e o bloqueio que se seguiu. Hoje, a vacinação e os protocolos de prevenção suscitam a esperança de uma vida nova que pouco a pouco voltará ao quase normal e surge-nos com a primavera como uma renovação, um renascimento! Nossa sociedade muda repentinamente na natureza, na estrutura, a tal ponto que não seremos reconhecíveis no nosso modo de pensar e no nosso modo de vida”.

Visite a exposição virtual em 3D no link abaixo:

http://art-afcae.com

CDMF

Com sede na Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), o CDMF é um dos Centros de Pesquisa, Inovação e Difusão (Cepids) apoiados pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp), e recebe também investimento do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), a partir do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia dos Materiais em Nanotecnologia (INCTMN).