15 de abril: Dia Mundial do Desenhista

Designer audiovisual do NEAD da Uniara fala sobre a importância da atividade e dá dicas para quem deseja se aventurar no mundo dos desenhos

96
Nesta quinta-feira, dia 15 de abril, é celebrado o “Dia Mundial do Desenhista”. O designer audiovisual do Núcleo de Ensino a Distância – NEAD da Universidade de Araraquara – Uniara, Mauricio Vasconcellos, fala sobre a importância da atividade e dá dicas para os iniciantes que querem se aventurar no mundo dos desenhos.

 

“A vida imita a arte, e a arte imita a vida. Foram mentes criativas que ousaram expor suas ideias por meio das artes, que fizeram com que o mundo girasse, que novas tecnologias pudessem surgir, que a história pudesse ser registrada, que o ser humano de ontem encontrasse um meio de exprimir o que vai no subconsciente, para termos uma base comparativa acerca dos modos como vivemos hoje. Em termos econômicos, arte é um dos únicos pontos imutáveis em nossa rotina que sempre terão valor garantido em investimentos, geração de empregos em incontáveis áreas e a eterna apreciação de uma larga parcela da sociedade”, afirma Vasconcellos.

 

Em relação a desafios para os desenhistas, ele aponta que, atualmente, existem vários, “e isso depende do objetivo particular de cada um”. “Alguns buscam obter um estilo único e diferenciado para se destacarem em meio aos demais; outros lutam para ganhar a vida com arte, passam suas vidas vendendo obras, crescendo e batendo de frente com outros artistas renomados cuja sombra sempre haverá de parecer maior que a deles. Por outro lado, existe também o artista recluso e simples, uma pessoa que não busca holofotes, não sonha com exposições em seu nome, mas que vê em sua falta de habilidade seu maior desafio a ser superado. Esse é o clássico colecionador de habilidades, alguém que sabe experimentar felicidade simplesmente por se tornar um artista mais completo do que fora no dia anterior”, diz.

 

Como dica para iniciantes, o designer audiovisual coloca que melhorar o traço é o primeiro passo. “Se tem a mão pesada, desenhe linhas e curvas compridas, sempre controlando o peso da mão para obter traços suaves. Se tem o traço pesado e poluído, desenhe linhas e curvas compridas, evitando o excesso e polindo a técnica para obter um tracejado suave e firme. Não tenha pressa, pois apenas depois de conhecer o que sua mão pode fazer com um lápis e caneta, é que o artista deveria se preocupar em realizar suas primeiras cópias e treinar os olhos para compor volumes. O desenho criativo pode vir a partir daí, com estudos acompanhados por livros de artistas famosos como Andrew Loomis, por exemplo”, recomenda.

 

Outro ponto mencionado por Vasconcellos é que, “se você é um artista, então seja você mesmo”. “A vida não é uma corrida, e não tem ninguém querendo roubar o seu lugar nesse longo caminho evolutivo. Cada pessoa deve seguir de cabeça erguida e fazer o que gosta, e não o que te forçam a desenhar. Estude e pratique sempre para não enferrujar. Nunca é tarde para começar, uma vez que, enquanto você tiver criatividade e saúde para manusear um lápis, já pode ser considerado um verdadeiro artista. Arte não é sobre nível de habilidade. Arte envolve alegria e a expressão de ideias”, finaliza.

 

Informações sobre os cursos a distância da Uniara podem ser obtidas no endereço www.uniara.com.br/uniaraonline ou pelo telefone 0800 55 65 88. Interessados podem conhecer trabalhos de Vasconcellos pelo Instagram – @aartedemauvasconcellos – ou pelo Facebook – www.facebook.com/aartedemauvasconcellos.