12ª edição da Parada do Orgulho LGBTQIA+ será realizada em formato digital

A Parada será transmitida no domingo (24), a partir das 13h, através dos canais digitais como na página do Coletivo Mais Plural, na página do COPO e também nas páginas da Prefeitura de Araraquara

38

O Coletivo Mais Plural de Araraquara, através da Comissão Organizadora da Parada do Orgulho LGBTQIA+ (COPO), realiza no próximo dia 24 (domingo) a 12ª edição da Parada do Orgulho LGBTQIA+ em formato digital. A Parada será transmitida, a partir das 13h, através dos canais digitais como na página do Coletivo Mais Plural, na página do COPO e também nas páginas da Prefeitura de Araraquara.

Com o tema: “Em defesa da vida, da família, da Constituição e pelo Estado laico”, o evento levantará o debate acerca do conceito de família, do direito à liberdade religiosa, do princípio da igualdade, do direito à vida e da laicidade do Estado.

As falas políticas darão início à programação, seguido por uma roda de conversa com o tema “Qual legado queremos construir?”, logo após contará com grande programação artística, com performances, cantores e DJs, além de apresentações de drag queens e dança do ventre.

Estão previstas as participações de Maya Montinegro (Miss Trans Araraquara 2019), Performer Peralta Optchá Vrá, Wendy como Jenny, Storm Drag Queen, Blair, Pollyana Cobban, Wilton Vital, Ana Emília, Málaga Valência, Sara Trajanovich, Ellyn Top, Luna Dee, Lara Muller, Peppy Typer, Juliana Fernandes e Sabrina Rocco, Yagô Devil, Lígia Maria, Bruno Caldeira, Paulo Junior, DJ Ulisses, DJ Raissa, DJ Will e DJ Marcus.

De acordo com a Assessora Especial de Políticas LGBTQIA+, Erika Matheus, “este tema nunca foi tão oportuno. Pessoas LGBT’s defendem a vida, afinal, o Brasil é o país que mais violenta esta população é, sobretudo, mais mata a população trans no mundo motivada por transfobia. Pessoas LGBT’s defendem a família, visto muitos de nós termos vínculos rompidos devido a discriminação, e sabemos o quão importante são tais vínculos afetuosos. Pessoas LGBT’s defendem a diversidade religiosa pelo direito de sua identidade de gênero e orientação sexual, que dissuade do que a normatividade pega, não os privem de cultivar sua fé e espiritualidade. E, por fim, defendemos a laicidade do Estado justamente para que nossas vidas não sejam balizadas por dogmas outros. Para além disso, é importante salientar a positividade que existe numa construção coletiva de um evento que promove resistência, reflexões e direitos. A parada torna-se ainda mais colorida com toda esta participação social conjunta, visando o melhor a ser dado. A Assessoria segue a disposição para amparar todes aqueles LGBT’s da cidade sem reservas e restrições”.

Já para a Transvereadora Filipa Brunelli, “a 12ª edição da Parada do Orgulho LGBTQIA+ traz uma discussão fundamental para com toda a sociedade, em que reitera os direitos constitucionais das pessoas LGBTQIA+ e também o acolhimento e a construção de núcleos familiares diversos. É fundamental que nós pessoas LGBTQIA+ nos apropriamos deste tema, afinal, desde o início do movimento LGBTQIA+ nós lutamos em defesa da vida, digo de todas as vidas, inclusive as vidas LGBTQIA+ e da família, afinal um dos nossos maiores sonhos é sermos aceitas e respeitadas por nossos familiares. Além do direito de construirmos núcleos familiares diversos, porém com a mesma concepção que é o afeto, proteção e acolhimento. Essa edição é um grito de liberdade, é um manifesto de amor e respeito!.” diz Brunelli.