Selecione a página

Quero a presidência

Quero a presidência
O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, admitiu nessa quinta-feira (31), seu desejo de ser candidato à presidência da República. Durante uma visita à nova sede da empresa de cosméticos Natura, o governador afirmou a jornalistas que quer “ser o presidente do povo brasileiro”.

Fufuca
O presidente interino da Câmara, André Fufuca (PP- MA), disse ontem (31) que dará seguimento a uma eventual nova denúncia do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, contra o presidente Michel Temer. Segundo vice-presidente da Câmara, Fufuca está no comando da Casa porque o presidente Rodrigo Maia (DEM-RJ) assumiu a Presidência da República. E o primeiro vice da Câmara, Fábio Ramalho (PMDB-MG), foi à China com Temer. Cada um só volta a assumir suas posições de origem na próxima quarta-feira (6).

Lulopetismo
Recebo e-mails de pessoas defendendo o lulopetismo. Para angariar voos e se manter no poder criaram o bolsa família, minha casa minha vida, cotas – que emburreceram a educação – e vários etc. Os países do 1º mundo lá chegaram via educação; aqui a ideia é manter o povo emburrecido para ser enganado
facilmente. Considero essas pessoas tão irracionais como membros dos grupos islâmicos que se matam por influência de outros, que continuam muito vivos. O Brasil é campeão mundial em: carga tributária, impunidade, corrupção, e péssimos serviços públicos. Todos produtos são mais caros do que nos países do primeiro mundo e sua qualidade é uma das piores”, disse Mário A. Dente.

Esquerda progressista
O ex-presidente Lula, que está em viagem de 20 dias pelo Nordeste, cruzando 28 municípios, já demonstrou que quer construir um bloco de esquerda progressista para disputar as eleições presidenciais em 2018. No mês passado, chegou a dizer, durante entrevista, que o PT poderia se juntar ao PSB, PDT e PCdoB na construção de “programa político pragmático”.
Em relação à primeira sigla citada, o petista reforçou a possibilidade de aliança, nos últimos dias, ao passar por seu Estado natal, Pernambuco, cujo governo está nas mãos do psbista Paulo Câmara, afilhado político do ex-governador Eduardo Campos, morto em acidente aéreo em 2014.

Não confessional
O Supremo Tribunal Federal (STF) formou ontem (31) placar de 3 votos a 2 a favor do reconhecimento de que o ensino religioso nas escolas públicas deve ser de natureza não confessional, com a proibição de admissão de professores que atuem como representantes de confissões religiosas. Após os votos, a sessão foi suspensa e será retomada no dia 20 de setembro.
Até o momento, os ministros Luiz Fux e Rosa Weber acompanharam o relator, ministro Luís Roberto Barroso, para dar interpretação conforme a Constituição e declarar que o ensino religioso nas escolas públicas de todo o país deve ser de forma não confessional.

Últimos Vídeos

Carregando...

Charge

Publicidade

Publicidade

Arquivos

Publicidade