Selecione a página

Quebra Queixo

O algoz – Petrobrás saqueada – Armas irregulares – Nebulização é realizada na Vila Xavier – Fiscalização nos bolsões de entulho será ampliada

O algoz

Na primeira visita de um chefe de Estado ao Brasil desde que Jair Bolsonaro assumiu a Presidência, ele e seu contraparte argentino, Maurício Macri, fizeram discursos de repúdio à ditadura de Nicolás Maduro na Venezuela.

Macri disse que ele e Bolsonaro compartilham da preocupação com os venezuelanos e ambos reconhecem a Assembleia Nacional como o “único poder legítimo eleito democraticamente” por vontade popular.

“Não aceitamos ditadura na democracia. E muito menos a tentativa de quem quer ser a vítima e, na verdade, é o algoz. A comunidade internacional já se deu conta de que Maduro é um ditador que busca perpetuar-se no poder com eleições fictícias prendendo os opositores e levando a Venezuela a uma situação desesperadora e agoniante”, disse em breve comunicado à imprensa ao fim do encontro com Bolsonaro.

Petrobras saqueada

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, afirmou, nessa terça-feira (15), em entrevista à GloboNews, que a Petrobras foi “saqueada em um volume sem paralelo” durante o governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. A declaração foi feita em resposta a pergunta sobre argumentos da defesa do petista à Justiça de que Moro foi um juiz parcial e o perseguiu durante processos judiciais.

Moro afirmou que Lula não “faz parte” de seu “presente”, nem do “futuro”. “O fato é que a decisão que eu proferi foi confirmada por três desembargadores que permanecem em suas posições”.

“O que existe é um álibi falso de perseguição política. O fato é que a Petrobras durante o governo do ex-presidente foi saqueada num volume às vezes sem paralelo no mundo”, disse. Moro ressaltou que “a própria Petrobras reconheceu R$ 6 bilhões em desvios”.

“Para onde foi esse dinheiro? esse dinheiro foi para enriquecer ilicitamente diversos agentes públicos daquele governo e parcelas beneficiaram o ex-presidente.

Armas irregulares

Após facilitar a posse, o governo Jair Bolsonaro prepara uma medida provisória que abrirá prazo para o recadastramento de armas em situação irregular e estuda reduzir imposto para o comprador. A ideia é também mobilizar apoio no Congresso para tentar aprovar projeto que flexibiliza o porte dos armamentos, ou seja, para que o cidadão possa andar armado.

A MP deve ser assinada até o fim do mês e, segundo o ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, permitirá que o cidadão recadastre a arma, mesmo que ela nunca tenha sido regularizada, até 31 de dezembro. O texto deverá trazer a possibilidade de o prazo ser estendido por um ano se houver necessidade. O recadastramento, feito após a aprovação do Estatuto do Desarmamento, terminou em 2009.

Lorenzoni negou que a medida possa caracterizar anistia a armas irregulares. “Não se trata de anistia. Se trata de o Estado abrir novo prazo para as pessoas se recadastrarem. No governo do PT ninguém nunca chamou de anistia, por que vai chamar no governo do Bolsonaro?”, questionou.

Curtas

 

Nebulização é realizada na Vila Xavier

As equipes de Controle de Vetores seguem com as ações de combate à dengue e, nessa quarta-feira (16), realizaram a pulverização do inseticida na extensão da Rua Barão do Rio Branco até a Avenida Major Dario Alves de Carvalho, localizada na Vila Xavier.

Atividades de bloqueio aconteceram no Jardim Universal, na altura da Unidade de Saúde da Família “Dr. Wilson Antunes Pereira”, na Avenida Rômulo Lupo. Na Vila Xavier, a região próxima a APAE (Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais) também serão feitas ações de bloqueios. No Selmi Dei setor 1 e no Yolanda Ópice estava previsto o encerramento das atividades de bloqueio também ontem.

As ações de bloqueios são realizadas em bairros com grande número de casos confirmados, fazendo o trabalho casa a casa. A colaboração da população é fundamental.

Vale salientar que as equipes de vetores estão devidamente uniformizadas e com crachá de identificação. Morador que não permanece em casa para receber as equipes pode entrar em contato com a Gerência de Controle de Vetores pelo telefone da Ouvidoria da Vigilância Epidemiológica (0800-774044) e agendar uma visita.

Fiscalização nos bolsões de entulho será ampliada

A Prefeitura de Araraquara está propondo mudanças nas regras de utilização dos chamados Pontos de Entrega de Volumosos (PEV), os conhecidos bolsões de entulho, que são áreas adaptadas para receber pequenos volumes de entulhos ou materiais volumosos.

Atualmente, 8 bairros contam com bolsões, que são de responsabilidade do DAAE:   Victório de Santi, Santa Lúcia,  São Gabriel, Parque São Paulo, Jardim Capri, Santa Angelina, Igaçaba e Selmi Dei.

Com os bolsões, o descarte desses materiais pode ser feito sem agredir o meio ambiente e sem por em risco a saúde das pessoas. No entanto, muita gente ainda insiste em despejar este tipo de material em áreas de mananciais, áreas públicas e privadas.

“Nós temos que pensar no desenvolvimento de Araraquara, mas com sustentabilidade, para que possamos preservar nosso meio ambiente. Criei os bolsões há muitos anos, no meu primeiro mandato, para que a população tenha um local para levar desde os resíduos de uma pequena reforma até aquele utensílio que não serve mais. Mas nossa avaliação, é que algo está errado, porque muitas pessoas, ao invés de levar estes materiais para áreas dos bolsões, estão despejando em áreas de mananciais, destruindo nossos rios e córregos, destruindo nossa água, no caso do Ribeirão das Cruzes. Por isso, estamos propondo, junto com o DAAE, que é o gestor ambiental do município, que seja repensado a política de gestão dos bolsões”, declarou.

Neste sentido, segundo o prefeito Edinho, o objetivo agora é endurecer a fiscalização contra o depósito irregular de entulho, móveis, lixo e inservíveis em terrenos e proximidades de mananciais, ao mesmo tempo em que a Prefeitura pretende criar mais bolsões em bairros que ainda não contam com o serviço e também aumentar a quantidade de material permitida por pessoa que hoje é até 1 metro cúbico – isso equivale ao que pode ser transportado por uma carroça ou veículo utilitário tipo caminhonete de pequeno porte.  Isso gratuitamente.

“Estamos estudando ainda como serão feitas essas alterações Já solicitamos mudanças na legislação ao presidente da Câmara, o vereador Tenente Santana; pedi para que ele lidere no Legislativo essa mudança. O objetivo é impedir tamanha agressão ao meio ambiente. E esse descaso coloca também em risco a vida das pessoas, principalmente porque entulho é sinônimo de criadouro do mosquito da dengue. Vamos endurecer a fiscalização, mas também levar o serviço a outros bairros”, concluiu o prefeito.

Últimos Vídeos

Carregando...

Charge

Publicidade

Publicidade

Arquivos

Publicidade