Selecione a página

Um novo olhar para a política chega com a juventude

O presidente da Juventude do PSDB fala sobre a chegada de uma nova política e o atual momento que vive o país

Suze Timpani
A juventude está cada vez mais participativa na atual política brasileira e o Partido da Social Democracia Brasileira, não ficou atrás. Nathan Frasnelli Lorenzetti, de 16 anos, é o atual presidente Municipal da Juventude do PSDB, e se mostra inteirado e com uma nova visão política para o partido.
Para Nathan, o momento de crise que o país passa deixa as pessoas desesperançadas, onde passamos por uma reforma política que na realidade não reformou nada e nesses moldes não vê como a política pode avançar de fato. “Vivemos um momento onde o governo do PT perdeu a credibilidade, e isso é muito grave”.
Ele fala ainda sobre Fernando Henrique Cardoso que, quando ia para a televisão falar aos brasileiros, mesmo com baixa popularidade, as pessoas ainda o ouviam, mas hoje ninguém quer mais ouvir o que a presidente tem a dizer e mostram isso com panelaços, quando seu programa vai ao ar.
“Hoje as pessoas não veem mais no político sua principal função que é transformar a sociedade, e não digo isso somente no PT, falo de toda classe política. O que podemos tirar de bom disso é que podemos nos fortalecer, fundamentar melhor o partido para que possamos trabalhar com uma oposição coerente.
Para ele, a oposição não pode ser do “quanto pior melhor”, e tem medo que o PSDB chegue a esse nível, pois o PT foi essa oposição durante o governo de FHC, temos que ser uma oposição forte, mas trabalhar em conjunto e visando os interesses do país e da sociedade e nunca por interesses pessoais.
O PSDB para Nathan, é um partido democrático internamente e lá se pode expressar qualquer tipo de opinião, uns são contra outros favoráveis a maioridade penal, ao porte de arma, ao financiamento de campanha e, caso um deputado do PSDB vote contra a indicação do partido, ele não será expulso e nem sofrerá represálias como no Partido dos Trabalhadores. Não fazemos parte de um partido radical, sem dizer que essa radicalidade do PT esteja errada, é o estilo deles, já o PSDB é um partido moderado.
Para as eleições municipais o presidente da juventude diz que há uma disputa interna muito grande para saber quem será o prefeito, pois temos muitos nomes bons tanto para a prefeitura como à vereança, vamos concorrer com um time muito forte, ótimos candidatos e a juventude, certamente lançará um candidato. Perguntado se seria ele o possível candidato da juventude, Lorenzetti diz que a executiva do partido já pediu a ele que seja, mas acredita que ainda é um pouco novo e pretende fazer antes uma faculdade, porque se aperfeiçoar para que possa exercer um bom mandato que é essencial. Ele usa uma frase de Eduardo Campos para definir que ainda não chegou sua hora “Não existe ideia melhor cujo aquela que tempo chegou”. O tempo de sua candidatura, ainda não chegou, embora esteja apto para tal cargo.
Sobre um possível impeachment da presidente Dilma, ele acredita que no momento deve-se bater mais em uma reforma política e social do que propriamente uma queda da presidente, o momento não é para isso, é bater nos erros para que possam ser melhorados. A juventude do PSDB vai às ruas para a manifestação do dia 16 de Agosto, mas visando melhorias para o país. Mas ressalta que impeachment não é golpe, é um instrumento de luta dos brasileiros.
Sobre a prisão do ex-ministro José Dirceu, ele acha lamentável a postura de alguns petistas que acreditarem que ele seja um preso político. “Ele é um político corrupto preso”, essa comparação chega a desmoralizar um preso político como Mandela que foi um homem de luta. Uma incoerência muito grande de pessoas que se fixam no mesmo discurso e que seguem uma cartilha cegamente. No PSDB eu procuro fugir ao máximo de cartilhas e daquelas coisas que sempre esperam de um Psdebista, tanto que a própria cúpula do PT já acredita que Zé Dirceu é carta fora do baralho, nem mesmo Lula fala a respeito e diz que o partido precisa encontrar um novo caminho, pois para ele, partido não é time de futebol. Acredita também que tem que defender os acertos do partido e criticar os erros, sempre faz isso dentro do PSDB, só assim poderemos crescer democraticamente.
Existe um novo movimento chamado de “onda azul”, com novas ideias e uma nova reestruturação para o partido e eu estou tentando aplicar isso dentro da Juventude Municipal para tentarmos melhorar e crescer sempre.
Estamos traçando um novo rumo aqui em Araraquara, e a juventude está debatendo muito sobre vários assuntos e novos caminhos, vamos deixar claro que o PSDB não é mais um partido de ‘caciques’. Temos que deixar claro que nenhum partido é o demônio e o outro é santo, temos todos, erros e acertos”.
Sobre a chegada de Edna Martins ao PSDB e sobre ela não levar consigo todos que estavam com ela no PV, Nathan acredita que não é porque um nome forte saia de um partido necessariamente tenha que levar consigo todos os filiados, afinal os verdes não são adversários dos tucanos, e como o presidente do PV, o Galo, já disse em entrevista, o partido já existia antes de Edna e continuará existindo. E o PV é um partido muito importante e envolvido com as causas ecológicas e ambientais. Mas o PSDB ganhou a filiação de Paulo Tetti que estará a frente da “Diversidade Tucana” e Araraquara será uma das primeiras cidades a ter esse trabalho LGBT e acredita que no estado de São Paulo não tenha ninguém como Tetti para comandar uma secretaria com tamanha capacidade.
Hoje a juventude do PSDB conta com 15 integrantes ativos e que estão em comunhão com à estadual e toda a região, pois para o presidente, o que conta é a qualidade e não a quantidade, e diz que procurou colocar nos quadros militantes comprometidos.
Ele vê com estranheza quando militantes de esquerda os chamam de “fascistas ou coxinhas”, nesses casos ele prefere debater, mas na maioria das vezes eles se negam ao debate, “isso sim é fascismo”, quando não têm argumentos começam arrumar apelidos. Mas deixou claro que tem um bom relacionamento com a juventude do PT, afinal política é a arte de construir pontes e saber fazer dialogo.
A política mudou e a juventude vem com um novo olhar, e Nathan termina dizendo que a juventude serve para debate e não é escola de caciques, chega de discursos batidos, quando estivermos lá na frente estaremos prontos para a troca de ideias e propostas e não discursos raivosos.

Últimos Vídeos

Carregando...

Charge

Publicidade

Publicidade

Arquivos

Publicidade