Selecione a página

Projeto que aumenta IPTU não entra para debate na Câmara

Mais uma vez o projeto de revisão da Planta Genérica de Valores que, entre outras coisas, reajusta o valor do IPTU, não entrou para votação na sessão da Câmara Municipal de Araraquara, nessa terça-feira (28). Depois de muitas reuniões isoladas entre as bancadas do PSDB e PMDB, e entre os vereadores e a prefeitura, foi […]

Sessão acabou sendo marcada por protestos de militantes de Esquerda e Direita que ocuparam o plenário

Da redação

Plenário foi ocupado por simpatizantes de Direita e EsquerdaMais uma vez o projeto de revisão da Planta Genérica de Valores que, entre outras coisas, reajusta o valor do IPTU, não entrou para votação na sessão da Câmara Municipal de Araraquara, nessa terça-feira (28). Depois de muitas reuniões isoladas entre as bancadas do PSDB e PMDB, e entre os vereadores e a prefeitura, foi decidido que o projeto não entraria na ordem do dia, pois não se chegou a um denominador comum entre o valor proposto pelo Executivo e o que o Legislativo acha mais conveniente.

O assunto gerou muitas discussões entre os edis e também na população araraquarense que não aceitou a proposta feita a princípio pela prefeitura que geraria um aumento de 64% no tributo. Outro projeto com valores próximos de 27% também foi rejeitado pela maioria dos vereadores.

Mesmo não sendo colocado em votação ontem, um projeto com valor de aumento linear de 10% foi apresentado pelo Executivo e deve ser encaminhado às Comissões da Câmara que terão um prazo para avaliá-lo. O tema deve ser discutido em sessões extraordinárias que serão realizadas em dezembro.

Divergências

Militantes de partidos de Esquerda e representantes da Direita Paulista, se ‘estranharam’ no plenário da Câmara durante a fala do representante da Direita Paulista, Rodrigo Barbosa Ribeiro, que criticou a administração municipal e o aumento do IPTU proposto pela prefeitura. Durante sua fala houve protestos por parte dos militantes de Esquerda e aplausos dos simpatizantes de Direita.

O presidente da Câmara, vereador Farmacêutico Jeferson Yashuda, pediu uma pausa de 5 minutos na sessão para os presentes acalmarem os ânimos.

A vereadora Thaynara Faria (PT) respondeu às críticas feitas por Rodrigo contra os políticos e disse que ele poderá ter que responder na justiça por suas palavras, que segundo ela, demonstravam o total desconhecimento do assunto.

Moradora da Zona Norte mostra receita médica que, segundo ela, é resultado da utilização correta dos tributos municipais

Explicações

Entre os vereadores que assinaram o protocolo na semana passada, onde afirmavam que votariam pela entrada em discussão do projeto da PGV em sessão, o representante do PPS, vereador Zé Luiz, apresentou a defesa de sua escolha e lembrou que se revoltar com os políticos em geral não resolve a situação. “A corrupção está antes de tudo nas pessoas, não só nos partidos e nos políticos”, ressaltou.

Reafirmando a sua posição contrária ao projeto, o tucano José Carlos Porsani disse que “justiça social é quando todo mundo paga de acordo com quanto ganha”. “O projeto do jeito que está não vai passar nesta Casa”, afirmou.

Últimos Vídeos

Carregando...

Charge

Publicidade

Publicidade

Arquivos

Publicidade