Select Page

‘População não ficará desassistida com o PDV’, garante secretária da Saúde



A Secretaria da Saúde recebeu 91 pedidos de desligamento; são previstos concurso e horas extras para sanar ausências

‘População não ficará desassistida com o PDV’, garante secretária da Saúde

O vereador Roger Mendes (Progressistas) reuniu-se com a secretária da Saúde, Eliana Honain, na quarta-feira (28), para discutir várias questões que os munícipes têm levado ao gabinete do parlamentar. Entre os temas abordados, estavam as demandas do Centro de Especialidades Odontológicas (CEO). Em visita de Mendes à entidade no início da semana, a gestora, Eloisa Marcantonio Boeck, havia manifestado preocupações em relação ao Programa de Desligamento Voluntário (PDV) da Prefeitura, dado que três dos nove auxiliares de dentistas do Centro manifestaram interesse pela adesão. Eliana foi categórica em sua resposta: “A população não vai ficar desassistida”, garantiu. De acordo com a secretária, até o momento, 91 profissionais na área da saúde aderiram ao PDV. “Já estamos providenciando concurso para a reposição e lançaremos mão inclusive de horas extras enquanto os novos profissionais não forem contratados, para que os serviços continuem a ser oferecidos normalmente”, acrescentou.

Ainda em relação ao CEO, o vereador questionou a secretária sobre a possibilidade de ampliar os serviços, incluindo ortodontia, radiografia panorâmica e implantes, que não são oferecidos atualmente. Eliana explicou que o Ministério da Saúde ainda não incorporou os implantes ao programa Brasil Sorridente, que destina recursos financeiros para os CEOs. “A gente vai evoluir para isso, mas, por ora, não há previsão. Já a ortodontia e a radiografia panorâmica ainda estão fora da nossa realidade, porque não temos previsão orçamentária para esses serviços no momento.”

Outra questão levantada no CEO foi a possibilidade de criar vagas específicas para as áreas de atuação nos próximos concursos. Eliana explicou que, para tanto, seria necessário criar especialistas na área de odontologia dentro do Plano de Cargos, Carreiras e Vencimentos (PCCV), o que poderia acarretar diferenciação salarial. “A solução mais simples seria realizar um processo seletivo interno para poder substituir profissionais específicos”, sugeriu.

Outro assunto discutido na reunião relacionou-se a medicamentos. “Recebemos muitas pessoas no gabinete perguntando como descartar medicamentos já vencidos e como doar remédios ainda dentro do prazo de validade, porém sem uso”, contou Mendes. Eliana explicou que o Fundo Social de Solidariedade tem o projeto de lançar em breve uma Farmácia Solidária, que recolherá e distribuirá medicamentos doados. Mendes sugeriu uma ação combinada: “Poderíamos criar postos de coleta nas unidades de saúde, que fariam a ponte entre a população nos bairros e o Fundo Social de Solidariedade. Fica muito mais prático para uma pessoa levar um medicamento até o posto de saúde perto de casa no caminho para o trabalho do que ir até o Fundo, especialmente se ela mora muito longe”. Eliana concordou: “Só precisamos estar atentos à estruturação desses pontos de coleta para que ofereçam segurança. Muita gente passa pelos postos de saúde; seria imprudente deixar os medicamentos à vista sem supervisão”, ressalvou.

Mendes encaminhará uma indicação à Prefeitura, sugerindo a instalação dos pontos de coletas de remédios: os vencidos, para incineração; os válidos, para doação ao Fundo Social de Solidariedade. “É uma questão importante, que envolve tanto o meio ambiente quanto a saúde. Vamos fazer o possível para viabilizar a coleta”, adiantou o parlamentar.

A secretária e o vereador também conversaram a respeito do Centro de Pesquisa e Tratamento das Deformidades Bucofaciais (Cedeface). “Trata-se de uma estrutura excelente atendendo a pouquíssimos pacientes. É preciso encontrar soluções para que o Centro possa aumentar o número de atendimentos”, observou Mendes. Eliana explicou que o Cedeface oferece um serviço ambulatorial credenciado no município pelo qual é remunerado mensalmente. Porém, há um problema referente à equipe de cirurgiões, que não tem condições de prestar o serviço de acompanhamento pós-cirúrgico. “Por isso, os pacientes cirúrgicos têm sido encaminhados para a Santa Casa. Se houver complicações ou intercorrências, o Cedeface não tem uma equipe disponível 24 horas como o hospital.” Eliana informou também que o Ministério Público está acompanhando a questão e que a Secretaria está em busca de soluções.

Por fim, Eliana e Mendes discutiram possibilidades de destinação de recursos financeiros para a compra de equipamentos para a Secretaria. “Temos em perspectiva a concessão de uma emenda parlamentar destinada à saúde que deve chegar no ano que vem”, informa o vereador. “Por isso, estamos avaliando as necessidades mais prementes de vários setores da Secretaria, para alocar os recursos da forma mais vantajosa para a população”, concluiu.

Últimos Vídeos

Loading...

Charge do Dia

Publicidade

Arquivos