Selecione a página

Nino na briga pela Prefeitura

“Eu era o candidato de Marcelo Barbieri para prefeito, inclusive ele estudava se filiar ao PSB”, disse Mengatti

José A C Silva
O pré-candidato a prefeito e presidente do diretório do PSB-Araraquara, Nino Mengatti, esteve ontem na redação d´O Imparcial falando sobre o cenário político atual.
“Fiquei 30 anos no PMDB com Marcelo Barbieri, minha saída para se filiar ao PSB foi em consonância com o prefeito; inclusive ele estudava se filiar ao PSB. Naquele momento eu era o candidato a prefeito, fiz um bom trabalho junto à pasta da Educação, foram 40 reformas e ampliações de escolas, 5 novas creches, prêmio como melhor merenda do Sudeste, valorização dos professores – Fundep, também consegui para as merendeiras os adicionais de insalubridade e periculosidade”.
De acordo com Nino, o prefeito Marcelo achava que o modelo político praticado no Brasil tinha se esgotado, lógico, inclusive o do PMDB. Infelizmente Eduardo Campos morreu. “Não sou homem de fugir das minhas responsabilidades – não fico preso a gabinete – tenho trabalhado incessantemente, hoje o diretório local do PSB conta com 33 nomes para vereadores, podendo participar 27 nas eleições, ente eles, Geraldo Patreze, Genê Catanozi, Marcello Caramurú, Lucas Greco, Jurandir Reis, Dr. Lineu Biazotti, Regina Beretta, Valdir Massucatto e outros. O PEN, PPL, PMB e o PRP também vão concorrer com mais de 35 candidatos a vereança e me apoiam na disputa pela Prefeitura”.
Nino já gastou vários pares de sapatos, visitou 4 mil casas e fez 500 reuniões em vários setores da sociedade. “Acredito que o Edinho Silva (PT) pode ser candidato, mas não tenho medo deste enfrentamento, ando pelas ruas tranquilamente, já o ministro vai ter que se explicar o tempo todo”. Nino disse que o bonde passou e não fizeram as reformas, Eduardo Campos defendeu a eleição da postura contra a estrutura. “Hoje o modelo político está esgotado, dinheiro que financiou o Francisco financiou o Chico. Renan e Cunha não contam com o aval da população, 64% querem o impeachment de Dilma e 58% não querem que Temer assuma a presidência – apoio novas eleições para presidente, deputados e senadores”. Nino terminou a entrevista, falando: “Acredito que pelo trabalho que venho fazendo estou de igual para igual com o primeiro candidato das supostas pesquisas realizadas em Araraquara”.

Últimos Vídeos

Carregando...

Charge

Publicidade

Publicidade

Arquivos

Publicidade