Selecione a página

Formas de prevenção ao bullying são discutidas em Audiência Pública

Formas de prevenção ao bullying são discutidas em Audiência Pública

Na segunda-feira (29), a Audiência Pública “Prevenção ao Bullying” reuniu especialistas e representantes da sociedade civil para a discussão do tema no âmbito de Araraquara. Realizado no Plenário da Câmara Municipal, o evento foi convocado pelo vereador Elias Chediek (MDB), que instituiu a “Semana de Conscientização, Prevenção e Combate ao Bullying” no município.

Segundo a professora e especialista no tema, Juliana Munaretti de Oliveira Barbieri, o bullying é manifestado de maneira sutil e tem características próprias, tratando-se de um tipo de violência, que revela agressividades física, verbal e psicológica, de uma ou mais pessoas contra vítimas desprotegidas, causando esgotamento, dor, angústia e insegurança, decorrentes dessas experiências negativas.

“Nesse contexto, é indispensável que as instituições de ensino estejam preparadas para a garantia de um ambiente socialmente saudável. A prevenção ao fenômeno, hoje, é a semente para que as futuras gerações araraquarenses não assistam a massacres como os já registrados na história do país e do mundo”, afirmou Juliana.

Proibido por lei
A Lei Federal 13.185/2015 criou o Programa de Combate à Intimidação Sistemática (Bullying), com o objetivo de capacitar profissionais da educação para lidar com o problema, determinando que as instituições de ensino tenham projetos de combate ao bullying.

De acordo com uma pesquisa de 2018 realizada pelo Instituto Ipsos, o Brasil é o segundo país com mais casos de cyberbullying, tipo de agressão sofrida na Internet e também reconhecida pela legislação federal. Vinte e nove por cento dos brasileiros entrevistados afirmaram que os filhos já foram vítimas dessa situação e que as agressões vieram de um colega de classe.

Para o psicanalista Silas Daniel dos Santos, a violência nasce da frustação, por isso é tão “importante trabalhar a inteligência emocional”. Santos também destacou que o afeto e o diálogo são essenciais para a prevenção ao bullying.

Ações no município
Representando a Secretaria Municipal de Educação, a gerente de Educação Infantil, Muriane Sirlene Silva de Assis, afirmou que a Prefeitura atua no combate ao bullying, através da formação de profissionais. “Nós trabalhamos as emoções dos professores e funcionários para que eles tenham ferramentas para lidar com as emoções dos estudantes. A gente entende que a escola precisa ter essa cultura de paz, com aulas motivadoras, atividades lúdicas e espaço para os jovens se expressarem e serem ouvidos, como rodas de conversa e trabalhos com diferentes linguagens. O combate ao bullying é diário”.

Na rede estadual também há ações nesse sentido. “A base curricular já traz a importância de se trabalhar a inteligência emocional. Teremos uma grande mudança com novas três disciplinas que entrarão no currículo, sendo uma delas chamada Projeto de Vida, para trabalhar a questão do cuidar de si, para que esta criança possa desenvolver seu sonho”, disse a supervisora de Ensino da Diretoria Estadual de Ensino, Isabel de Lourdes Macedo. Segunda ela, a rede estadual e a municipal atuam em conjunto no protocolo de atendimento para acolher crianças vítimas de violência sob orientação do Ministério Público.

Além disso, Isabel frisou que o Estado também incentiva a capacitação dos profissionais, oferecendo cursos virtuais e incentivos como evolução funcional e melhoria salarial para motivar a participação. “Há um esforço muito grande de toda a comunidade para construir essa cultura de paz”.

Chediek reconheceu a importância das discussões. “A presença da população e dos especialistas foi fundamental para conhecermos diferentes realidades e entender o que está sendo feito no município. As falas trouxeram estímulos para melhoria do clima e para a promoção da paz. Espero que todos se mantenham motivados para ampliar essas ações”.

Últimos Vídeos

Carregando...

Charge

Publicidade

Publicidade

Arquivos

Publicidade