Selecione a página

EBC deve levar programação de conteúdo para população

O ministro Edinho Silva participou da abertura do evento

Da redação
Representantes da sociedade civil, acadêmicos e jornalistas participaram da abertura do seminário Modelo Institucional da EBC: Balanço e Perspectiva. O evento ocorreu ontem (11) e segue hoje (12), na sede da Empresa Brasil de Comunicação (EBC), em Brasília.
O seminário está debatendo os sete anos da EBC e propostas visando a aprimorar o modelo de gestão da empresa. Ontem e hoje pela manhã ocorreu a apresentação do diagnóstico da empresa. À tarde, os participantes debatem a vinculação institucional e a autonomia da EBC. Os ministros da Secretaria-Geral de Comunicação, Edinho Silva, e da Cultura, Juca Ferreira, e a deputada federal Luiza Erundina (PSB-SP) participaram da abertura do evento.
Segundo dados apresentados pelo vice-presidente da EBC, Sílvio Guimarães, a empresa tem 2.373 funcionários, dos quais 1.235 foram contratados nos últimos três anos. Ele disse que a empresa tem condição de alcançar 76% da população brasileira, por meio de seus veículos de comunicação social.
Atualmente, o sinal de TV dos veículos da EBC chega a 96 milhões de pessoas e o sinal das rádios, a 120 milhões. Já os acessos ao Portal da EBC na internet, de acordo com dados de 2014, somam 25 milhões e ao portal da Agência Brasil e da Radioagência Nacional, 8 milhões.
Formato de TV
O seminário é apresentado em formato de TV e transmitido ao vivo e na íntegra, via streaming, pelo endereço conselhocurador.ebc.com.br/transmissaoaovivo. O streaming é aberto e pode ser retransmitido por sites e páginas que tenham interesse. Os jornalistas da EBC Juliana Nunes, Mara Régia e Pedro Henrique Moreira apresentam o seminário.
Na abertura, a presidenta do Conselho Curador da empresa, Ana Fleck, disse que a ideia do evento surgiu de debates do conselho. Segundo ela, o objetivo é ampliar as discussões dos conselheiros, que se reúnem de dois em dois meses. “Nossa preocupação é que a EBC tenha um projeto robusto e independente de governos, com a participação da sociedade”, afirmou.
O ministro da Secretaria de Comunicação Social, Edinho Silva, disse que a criação da EBC é um marco na comunicação nacional e que a empresa tem como papel levar conteúdo e entretenimento à população. “A empresa não precisa reproduzir o padrão comercial, mas tem o dever de levar programação de conteúdo, sem ser elitizada.”
A deputada Luiza Erundina (PSB-SP) participou da mesa de abertura representando a Frente Parlamentar pela Liberdade de Expressão e o Direito à Comunicação com Participação Popular. “O sistema de comunicação pública da EBC é uma conquista importante da cidadania e precisa ser conservado”, afirmou Erundina.
Segundo a vice-presidenta do Conselho Curador e coordenadora da comissão organizadora, Rita Freire, as propostas apresentadas durante o seminário darão mais legitimidade para o conselho atuar. “Elas servirão para defender o projeto da EBC diante do governo federal, do Congresso.”
Depois do diagnóstico da empresa, os temas vinculação e autonomia da EBC foram discutidos ontem, em grupos, pelos participantes do seminário. Hoje (12), haverá debates sobre financiamento e sustentabilidade e sobre gestão do conteúdo e participação.
As propostas em debate foram enviadas pelos inscritos no evento no período de 29 de junho a 29 de julho. Entre as sugestões recebidas figuram o método de escolha dos presidentes da empresa, a realização de sabatina dos escolhidos para o cargo de presidente pelo Conselho Curador e ou pelo Senado Federal e obrigatoriedade de ocupação dos cargos de chefia na empresa por servidores concursados, e não por indicação.

Últimos Vídeos

Carregando...

Charge

Publicidade

Publicidade

Arquivos

Publicidade