Selecione a página

CEI deve ouvir Mimi e João Farias ainda esta semana

Por unanimidade, vereadores devem aprovar prorrogação da CEI por 30 dias, na tarde de hoje

Hamilton Mendes

Com os acordos costurados no final do ano passado – e antecipados pela reportagem do O Imparcial -, a prorrogação dos trabalhos da Comissão especial de Inquérito (CEI) deve ser aprovada por unanimidade na Sessão Extraordinária, que se realizará no final da tarde de hoje, na Câmara Municipal.

Convocada exclusivamente para votar a extensão dos trabalhos da Comissão a Sessão terá início às 17h30, mas a votação deve ser muito rápida, já que tanto a base de apoio ao governo, quanto à oposição estão de acordo com relação ao principal ponto que mobilizou o debate no final do ano passado: a CEI não poderia encerrar suas atividades deixando para trás a imagem de não ter concluído o trabalho.

“Não há nada novo. Existe o consenso de que a CEI deve prosseguir, e a prorrogação deve ser aprovada por unanimidade”, reafirmou ao O Imparcial o líder do Governo na Casa, que também é relator da comissão, vereador Aluizio Brás, o Boi (PMDB). O jornal já havia antecipado a notícia no final do ano passado, quando revelou os resultados de um encontro que reuniu o líder do governo e o prefeito Marcelo Barbieri, ocasião em que os dois discutiram a continuidade da CEI.

Também como antecipado pela reportagem a CEI planeja convocar apenas os depoimentos do ex-coordenador do Desenvolvimento Urbano, Ademir Palhares, o Mimi, e do presidente da Câmara, João Farias. Ambos já tinham tornados públicos o desejo de depor na comissão.

“Vamos (os integrantes da Comissão) nos reunir logo após a prorrogação passar em plenário, quando penso em propor aos demais colegas que os depoimentos do Mimi e do João aconteçam já esta semana. Talvez, quinta ou sexta-feira”, revelou Boi. Que defende a ideia de ouvir os dois no mesmo dia.

Boi não vai esperar 30 dias para fechar relatório

Quanto à eventualidade de se convocar outros nomes para depor, tudo continua em aberto, mas não há a intenção dos integrantes da comissão de abrir o leque de maneira desordenada, até para proteger o trabalho da CEI.

“Não podemos permitir que usem a CEI para fins políticos. Estamos abertos a quaisquer denúncias sérias que queiram nos trazer. Mas, precisamos trabalhar com fatos concretos. Se alguém tiver alguma denúncia a fazer e tiver provas dela, algum fato concreto a apresentar, pode nos procurar”, reafirmou Boi.

O parlamentar revelou à reportagem a intenção de não aguardar até o dia 15 de fevereiro – data final da CEI, depois de prorrogada – para fechar o relatório das atividades da comissão, afirmando que concluirá a redação logo após os depoimentos de Mimi e João Farias. Segundo ele, o trabalho está bastante avançado e os relatórios relativos aos assuntos apurados pela comissão nas Secretarias da Agricultura e do Desenvolvimento Econômico, já estão concluídos.

“Resta apenas concluir o relatório da Secretaria do Desenvolvimento Urbano, o que vamos fazer logo após os depoimentos do João e do Mimi. Fechado o documento, pretendo entregar tudo ao Ministério Público (MP) e a Polícia Federal (PF)”, anunciou o líder do governo, e relator da Comissão.

Destacando não ver necessidade alguma em protelar a confecção do relatório. “Não é porque vamos aprovar a prorrogação da CEI por 30 dias que devemos esperar esse tempo para fechar o relatório. Se surgir um fato novo, vamos atrás. Mas, o relatório final será concluído já nos próximos dias”, revelou Boi.

Últimos Vídeos

Carregando...

Charge

Publicidade

Publicidade

Arquivos

Publicidade