Selecione a página

Situação do Condomínio dos Oitis está próxima de solução

Secretário Porsani disse em entrevista coletiva, que relatório segue ainda hoje para Ministério Público e Caixa Econômica iniciarem ações

 

José Augusto Chrispim

De acordo com o secretário de Assistência e Desenvolvimento Social de Araraquara, José Carlos Porsani, a situação crítica vivida hoje por moradores do Condomínio dos Oitis, localizado na região do Jardim Iguatemi, começará ter uma solução a partir de hoje.

Em entrevista coletiva à imprensa, concedida na manhã de ontem (22), na Secretaria de Assistência e Desenvolvimento Social do município, Porsani relatou que no dia de hoje seria enviado o relatório onde constam todos os dados colhidos ao longo das pesquisas feitas pela secretaria junto da Caixa Econômica Federal e prefeitura municipal e também durante um mutirão feito por funcionários de várias secretarias na última quinta-feira (16), das 16h até às 19h30, no interior do condomínio. Trinta e quatro funcionários públicos participaram da ação que não foi divulgada para a imprensa.

“Nós fizemos um verdadeiro mutirão de serviços, desde a limpeza das lixeiras até a pesquisa para descobrir quem está em situação irregular. Já estamos enviando sacos de lixo para os moradores poderem recolher a sujeira que está depositada por toda parte do condomínio”, disse o secretário.

Conscientização

De acordo com Porsani, a solução depende de todos os envolvidos, para ele, acima de tudo, a falta de educação de parte dos moradores é a maior causa dos problemas enfrentados no local. “Pessoas atiram sacos de lixo das janelas dos apartamentos e os dejetos se espalham pelo pátio. Sem a conscientização dos moradores a coisa não vai mudar”, desabafou.

Um trabalho de conscientização dos moradores do condomínio será o passo mais importante feito na tentativa de resolver a situação limite em que vivem hoje os condôminos. E essa conscientização começa nas escolas do bairro, nos centros de saúde, nos CRAS e não somente no local.

“A gente percebeu que, apesar de quase todas as famílias do Oitis estarem cadastradas em algum projeto social, muitas crianças não frequentam a escola, isso precisa ser revisto e não cabe somente a nós acompanhar se os critérios para o recebimento desses benefícios estão sendo respeitados”, disse o secretário.

Apesar das campanhas de conscientização feitas nos postos de saúde do bairro e nas escolas, segundo o secretário, o número de adolescentes grávidas é muito alto, além do grande número de menores de idade que são usuários de drogas.

Esses são problemas que necessitam de um maior empenho de todas as secretarias envolvidas, inclusive do Conselho Tutelar que precisa aumentar sua atuação na região.

Problema antigo

Segundo o secretário, um dos maiores problemas enfrentados por eles desde a entrega dos 256 apartamentos, distribuídos por 16 blocos, é que 42 deles não foram ocupados pelas famílias contempladas e isso gerou uma preocupação com relação à ocupação por pessoas não autorizadas. Além disso, 101 apartamentos estão com alguma irregularidade na documentação que precisa ser atualizada todos os anos.

Em fevereiro de 2013, a Secretaria de Assistência e Desenvolvimento Social recebeu uma solicitação da prefeitura para fazer um trabalho visando cadastrar todos os problemas enfrentados no condomínio. O levantamento foi feito e muitos problemas foram apontados e levados ao conhecimento da prefeitura e também da Caixa Econômica Federal e Câmara Municipal, mas, segundo Porsani, nada de concreto foi feito.

Reunião com responsáveis

Na semana passada ocorreu uma reunião entre os representantes da Secretaria de Assistência e Desenvolvimento Social, Secretaria de Habitação, Polícia Militar, além de representantes da Caixa Econômica Federal de Bauru e Ribeirão Preto, para se traçar as ações que serão realizadas no condomínio para tentar solucionar a questão.

“Eu acredito que com o relatório em mãos, agora o Ministério Público e a Caixa Econômica Federal iniciarão em breve os trabalhos”, disse Porsani.

Operação de paz e não de guerra

Uma grande operação será feita no Condomínio dos Oitis em breve para que as famílias sejam recadastradas e os invasores ou moradores que estão em situação irregular sejam retirados dos apartamentos para que os imóveis sejam repassados para os suplentes. “Esperamos que as ações sejam feitas de forma tranquila e pacífica, não queremos uma situação de guerra e sim de paz”, relatou Porsani.

A Caixa Econômica Federal vai disponibilizar oito funcionários para ajudar nos trabalhos. Uma verba federal no valor de R$ 173 mil foi bloqueada pela Secretaria de Assistência e Desenvolvimento Social e será usada nos serviços feitos dentro do condomínio depois que a reintegração de posse dos imóveis e outras ações de melhorias forem realizadas. Oficineiros serão contratados pela prefeitura para desenvolverem trabalhos sociais e voltados para o esporte dentro do residencial.

Depois de realizada a retomada do controle da situação serão formados grupos de moradores para a arrecadação de um valor de condomínio para as despesas de manutenção, por exemplo, que hoje não existe.

“Se cada família contribuir com apenas R$ 2,00 já dá para fazer alguma coisa”, disse o secretário.

A Secretaria já atua no condomínio por meio do trabalho do Cras do Cecap, que faz o acompanhamento das famílias do Oitis. Dentro do Cras são desenvolvidas atividades de qualificação profissional e atividades para prevenção ao uso de drogas e álcool.

Últimos Vídeos

Carregando...

Charge

Publicidade

Publicidade

Arquivos

Publicidade