Selecione a página

Polícia Civil tenta esclarecer morte de mulher amordaçada em Américo

Ex-companheiro da vítima seria o principal suspeito, a princípio, mas morreu no último dia 24

Da redação

A Polícia Civil de Américo Brasiliense investiga a morte da auxiliar de expedição, Rosilene de Jesus Silva, de 37 anos, que foi encontrada morta com uma sacola plástica amarrada da cabeça e amordaçada com fita adesiva em sua casa, localizada na rua H, no bairro Jardim Novo Mundo, em Américo Brasiliense, no último sábado (28).
Segundo o apurado, o ex-companheiro da vítima, Marcio Gustavo Marcondes, era o principal suspeito do crime, inicialmente, mas ele morreu no último dia 24 de junho, vítima de pneumonia, no Hospital Estadual de Américo, quatro dias antes de Rosilene ser encontrada morta em sua casa. Segundo declaração do delegado titular de Américo Brasiliense, Dr. Jesus Nazaré Romão, a morte do então acusado foi descoberta nessa segunda-feira (30). O caso segue agora sem suspeitos, já que Marcio morreu antes mesmo da ex-mulher. As investigações continuam.
A Polícia Científica periciou a casa da vítima e recolheu objetos e um líquido que estava em um copo, próximo ao corpo, para análise. A Polícia Civil aguarda a conclusão do laudo pericial, que deve ficar pronto em 30 dias.

O caso
Por volta de 19h40 do último sábado (28), o corpo de Rosilene de Jesus Silva foi encontrado por um irmão, sobre a cama no quarto da casa dela. Segundo a Polícia Militar, ele tentava falar com a irmã há quatro dias e, na noite de sábado, resolveu ir até a casa dela. Ele teria pulado o muro e entrado por uma porta dos fundos, que estava destrancada e com a chave do lado de dentro. Rosilene estava amordaçada com uma fita adesiva que tampava também seu nariz e com uma sacola plástica cobrindo toda a cabeça até o pescoço. A vítima estava vestida com uma calça jeans e camiseta e usava luvas pretas.

Últimos Vídeos

Carregando...

Charge

Publicidade

Publicidade

Arquivos

Publicidade