Select Page

DIG de São Carlos investiga morte de caminhoneiro em posto na WL

O corpo de Eliseu sendo levado para o IMLA Delegacia de Investigações Gerais (DIG) de São Carlos investiga uma suposta tentativa de roubo de cargas que teria terminado tragicamente com a morte do carreteiro Eliseu dos Santos, de 61 anos.

Na tarde da última terça-feira, ele desapareceu com o cavalo mecânico Volvo que puxava uma carreta carregada com 34 mil litros de óleo diesel, entre os municípios de Rio Claro e São Carlos. O caso só veio à tona, na manhã desta sexta-feira (15), após um vigilante do posto Graal Rubi, localizado na rodovia Washington Luís em São Carlos, ter percebido a presença do veículo que já estava sendo procurado pelas Polícias Civil, Militar e Rodoviária.

O delegado Edmundo Ferreira Gomes, disse que todas as hipóteses estão sendo investigadas, porém ele acredita que Elizeu, teria sido vítima de um latrocínio (matar para roubar), uma vez que os documentos do caminhoneiro a princípio teriam desaparecidos. O delegado também acredita que o carreteiro pode ter entrado em luta corporal com seu assassino que disparou por 4 vezes contra o mesmo e um dos tiros, após transfixar seu ombro, atravessou o pára-brisa e alojou-se no tronco de uma árvore.

Na tarde de quinta-feira (14), o proprietário de uma empresa de transporte de combustíveis, instalada na rua Piano, 1.107, em Campo Grande – MS, ligou para Polícia Civil de São Carlos, informando que havia se dirigido à Polícia Civil daquele estado, onde registrou o desaparecimento de seu funcionário, o carreteiro Elizeu dos Santos, 61, que na tarde de terça-feira, por volta das 15h55, após carregar 34 mil litros de óleo diesel, avaliados R$ 63.046,02, na cidade de Paulínia, deixou aquele município conduzindo o cavalo mecânico Volvo, modelo NL12, branco, placas AEJ 5079 – Campo Grande – MS, que puxava o tanque da marca Guerra, também na cor branca, placas AHE 325 – Campo Grande MS. Ainda segundo o proprietário do cavalo mecânico, da carreta e da carga, através do rastreador de satélite ele teria sido informado que no início da noite de terça-feira, por volta das 18h40, o cavalo mecânico com a carreta, teria estacionado em algum ponto da SP 310 – rodovia Washington Luís, entre as cidades de Rio Claro, Corumbataí, Itirapina e São Carlos e o carreteiro não mais fazia contato e não sabia ele informar o que ocorria, mas pressentia que Elizeu, teria sido seqüestrado por uma quadrilha de roubo de cargas e poderia estar em perigo.

A Polícia Civil, também comunicou o caso às Polícias Militar e Rodoviária, que passaram a procurar pelo veículo que poderia estar parado no acostamento da rodovia Washington Luís, porém após todo trabalho os policiais sem ter maiores detalhes sobre o trajeto da carreta, abortaram as buscas e passaram a monitorar os caminhões tanques para averiguar se entre eles uma carreta passava por nossa região e com isto a polícia poderia obter informações sobre Elizeu, que já teria além dos patrões toda família preocupada com o sumiço.

Somente pela manhã desta sexta-feira (15), por volta das 10h, que um segurança do posto Graal Rubi, caminhando no estacionamento para caminhões, instalados ao fundo do posto, veio a suspeitar do cavalo mecânico Volvo e da carreta que estavam parados a dias naquele local. Ao se aproximar para averiguar, o funcionário sentiu um forte odor de putrefação e resolver puxar as placas da carreta e ver o que teria em seu interior. Ao descobrir através da Polícia Militar que o veículo estava sendo procurado, o segurança subiu na boleia e ficou chocado ao ver o corpo do carreteiro Elizeu dos Santos, 61, encolhido e com o rosto no chão no assoalho, já sem vida e aparentemente assassinado, pois na frente do cavalo mecânico havia uma perfuração de um tiro com um projétil cravado no galho de árvore que fazia sobre para o pesado veículo de cargas. Alertado, o comanda do Polícia Militar esteve no local, bem como comunicou o caso aos delegados Edmundo Ferreira Gomes e Denise Gobbi Szakal, que acompanhados de seus policiais e investigadores do 1º Distrito Policial de São Carlos, passaram a fazer levantamentos no local do possível crime de latrocínio.

Peritos do Instituto de Criminalística (IC), também estiveram no local e até as 12h45, realizando coleta de materiais e analisando o corpo de Elizeu, que foi assassinado com quatro tiros de revólver possivelmente calibre 38, os quais atingiram seu abdome, tórax e ombros. Ainda segundo um dos peritos, um dos tiros que atingiu o ombro do carreteiro, realmente teria transfixado o pára-brisa e cravado em um tronco de árvore. Todo material foi apreendido, com caminhão e com a carga que estava inviolável, porém no interior do caminhão os policiais constataram que a carteira com documentos de Elizeu dos Santos, não se encontrava e possivelmente teria sido levada pelo assassino.

IMAGENS.

Os delegados Edmundo Ferreira Gomes e Denise Gobbi Szakal, por quase uma hora, assistiram parte das filmagens em que aparece Elizeu, por volta das 18h40 da última terça-feira (12), estacionando o cavalo mecânico Volvo com a carreta de combustível, bem como as imagens o mostram ainda sozinho, trajando camiseta branca, bermuda jeans azul, e sapatos pretos, batendo com uma marretinha nos pneus da carreta para conferir o balanceamento e após ele entra na cabina do volvo e posteriormente forma-se um grande mistério que ficou para os investigadores da Delegacia de Investigações Gerais (DIG), desvendar.

Somente por volta das 13h, foi que o corpo do carreteiro Elizeu dos santos, 61, foi encaminhado para o Instituto Médico Legal (IML), onde durante a tarde passou por necropsia e posteriormente ficou a disposição da empresa e familiares que devem realizar na tarde deste sábado (16), seu funeral na cidade de Campo Grande – MS. A Delegacia de Investigações Gerais (DIG) registrou o caso como encontro de cadáver/homicídio que já está sob investigações.

Advertisement

Últimos Vídeos

Loading...

Arquivos