Selecione a página

CR Feminino realiza Festa da Primavera

José Augusto ChrispimDe acordo com a diretora técnica da unidade prisional, Dr. Jucelia Gonçalves, no tradicional desfile as reeducandas disputam em três categorias que são: Miss Primavera, Miss Simpatia e Miss Maturidade. Esta última categoria é formada por detentas com idade acima de 40 anos. A diretora relatou à reportagem do O Imparcial que o […]

Resgatar a autoestima da mulher presa foi o maior objetivo do evento

José Augusto Chrispim

O Centro de Ressocialização Feminino (CRF) de Araraquara realizou a 6ª edição da sua Festa da Primavera na noite dessa terça-feira (26), com grande público formado por membros da sociedade civil, funcionários e seus parentes, além da imprensa local. Os presentes se encantaram com a beleza e o profissionalismo das 42 reeducandas que concorreram ao prêmio de Miss Primavera.

De acordo com a diretora técnica da unidade prisional, Dr. Jucelia Gonçalves, no tradicional desfile as reeducandas disputam em três categorias que são: Miss Primavera, Miss Simpatia e Miss Maturidade. Esta última categoria é formada por detentas com idade acima de 40 anos.

Contando com o apoio de empresas privadas da cidade que emprestaram os vestidos e sapatos usados pelas concorrentes, além de montagem do palco, D’J, sistema de som e luzes, a produção do evento contou com voluntárias de um instituto de beleza que maquiaram e preparam os cabelos das concorrentes gratuitamente.

A diretora relatou à reportagem do O Imparcial que o objetivo principal do evento foi resgatar a autoestima das mulheres presas e deixar o ambiente mais leve e alegre. “Quando a mulher vai presa acaba perdendo a vontade de se cuidar, pois acredita que perdeu essa capacidade. Com o concurso, nós conseguimos mostrar que elas são capazes de fazer tudo o que quiserem e trabalhamos o empoderamento feminino. Aqui a mulher presa se revela simplesmente mulher. Durante um mês elas fizeram toda a preparação do evento. Isso agregou o grupo e deixou o ambiente bem mais leve. O principal objetivo é mostrar que elas são capazes”, finalizou Jucélia.

O júri foi formado pela ex-diretora da unidade prisional, a Dr. Marisa Fonseca Monteiro, a diretora do curso de modelos da Uniara, a professora Vivian de Barros, o professor Geovani Peroni que é especialista em ergonomia do trabalho, da representante da Natura em Araraquara, Edi Altimari e da proprietária da agência de modelos, Simone Geisa.

Cerca de 100 pessoas participaram do evento que contou com um breakfast e apresentação de dança do ventre.

Últimos Vídeos

Carregando...

Charge

Publicidade

Publicidade

Arquivos

Publicidade