Selecione a página

Casal é preso acusado de matar e enterrar trabalhador rural em cova rasa

Corpo estava com o braço esquerdo decepado e apresentava vários ferimentos feitos com um facão

José Augusto Chrispim

A polícia agiu rápido e prendeu um casal em flagrante, no final da manhã desse sábado (25), em uma propriedade rural localizada na região do Belunga, que fica próximo da rodovia vicinal Graciano da Ressurreição Afonso, que liga Araraquara a Bueno de Andrada. Eles são acusados de matar com golpes de facão o trabalhador rural José Antônio Mendes, de 52 anos, e depois enterrar seu corpo em uma vala na propriedade.
De acordo com o delegado da Delegacia de Investigações Gerais (DIG), Dr. Elton Hugo Negrini, o acusado Devanildo Tavares dos Santos, de 39 anos e sua amásia Áurea Marcia da Conceição, de 41 anos, foram presos em flagrante acusados pelo crime e serão indiciados por homicídio duplamente qualificado (art.121) e ocultação de cadáver (art.211). As penas para os dois crimes podem chegar a 30 anos de prisão.

O encontro do corpo
O corpo do trabalhador rural foi encontrado por volta de 8h, pelo proprietário do local onde existe uma carvoaria desativada. Osvaldo da Silva, de 70 anos, acionou a Polícia Militar relatando que havia ficado fora do local por cinco dias e quando retornou, não encontrou o caseiro, que deveria estar em seu barraco. Ele constatou que no interior do barraco onde morava a vítima, havia marcas de sangue e o local estava todo revirado, como se tivesse ocorrido uma luta. Silva foi alertado por um cachorro que latia onde o corpo estava enterrado. Ao se aproximar da vala sentiu um cheiro forte e constatou que o corpo de Mendes estava enterrado ali.
A Polícia Militar contou com a ajuda de uma máquina retro escavadeira, de propriedade de um vizinho, para retirar o corpo da vala. Ele estava sem o braço esquerdo e com vários ferimentos feitos por um facão. A mão esquerda foi localizada próxima do corpo, mas o braço não foi encontrado.
O delegado Dr. Negrini foi ao local e acionou a Polícia Científica, que periciou o corpo e a propriedade. O corpo foi levado para o Instituto Médico Legal (IML).
O cadáver foi reconhecido por um irmão da vítima.

Contradição
O casal que relatou morar de favor na propriedade desde a última quinta-feira (23) foi levado para a Delegacia de Plantão, a princípio como testemunhas, mas quando foram ouvidos acabaram caindo em contradição, o que levou o delegado Dr. Negrini a prendê-los em flagrante como acusados pelo homicídio duplamente qualificado seguido de ocultação de cadáver. “Eles negam, mas os indícios da autoria do crime são fortes contra eles”, relatou com exclusividade à reportagem do O Imparcial o Dr. Negrini.
Devanildo, que já possuía passagens por homicídio e estupro, seria conduzido para a cadeia pública de São Carlos e Áurea para a cadeia feminina de Santa Ernestina.

Últimos Vídeos

Carregando...

Charge

Publicidade

Publicidade

Arquivos

Publicidade