Selecione a página

Aumentam ocorrências envolvendo moradores de rua na cidade

Grande número de chamados deixa população com medo e atrapalha serviço da Polícia Militar

José Augusto Chrispim

Um grande número de ocorrências policiais envolvendo moradores de rua vem tirando o sossego dos cidadãos e ocupando viaturas policiais que poderiam estar atendendo ocorrências mais importantes.

Na noite de ontem (23), a reportagem de O Imparcial acompanhou o trabalho de uma equipe da Polícia Militar que atendeu uma ocorrência em uma casa abandonada localizada na rua Itália, próxima da avenida Sete de Setembro, que foi parcialmente incendiada por moradores de rua que usam o imóvel para dormir e utilizar drogas. Os vizinhos sentiram o cheiro de fumaça e acionaram a Polícia Militar que com a ajuda de vizinhos, conseguiu apagar o princípio de incêndio.

No interior da casa, com a permissão do sargento PM Euclides, a reportagem pode notar que havia muitos indícios do uso de drogas pelos moradores de rua que ocupavam o imóvel e que o fogo pode ter sido causado por algum cigarro deixado no local pelos mesmos.

Na tentativa de encontrar os responsáveis pelo princípio de incêndio, a equipe do sargento Euclides fez várias abordagens em pontos freqüentados por moradores de rua, mas não encontrou nenhum dos suspeitos.

Em uma das abordagens a quatro moradores de rua, no bairro do São José, entre os abordados, um já possuía passagens policiais pelos crimes de furto, roubo e porte de drogas e o outro possuía passagem por furto. Em patrulhamento pela Praça do Carmo, no bairro do Carmo, um rapaz de 28 anos, que foi abordado, tinha passagem por furto e disse que saiu da cadeia em 2010.

Durante o patrulhamento, por volta de 22h, a equipe PM foi abordada na avenida Portugal, na região central, por uma comerciante que alegou que havia estacionado sua van Mercedes bens/Sprinter, de cor branca, enquanto esperava a saída dos alunos de uma faculdade e, foi chamada por um motorista de outra van que disse que o alarme de seu veículo estava acionado. Quando Rosana chegou a sua van, verificou a falta do aparelho de GPS, que havia sido furtado. “Uma pessoa viu quando um morador de rua sai com alguma coisa na mão do interior da minha van”, contou Rosana à reportagem.

Segundo a própria Polícia Militar, muitas ocorrências envolvendo moradores de rua são denúncias sobre brigas em via pública, embriaguês, invasão de casa abandonadas e outros casos de pouca importância, mas que utiliza uma equipe da Polícia Militar por muito tempo, fazendo muitas vezes que outras ocorrências de maior gravidade fiquem na espera por falta de viaturas para atender um grande número de casos ao mesmo tempo.

A Secretaria de Assistência e Desenvolvimento Social faz um trabalho de triagem e dependendo do caso envia os moradores de rua para a Casa Transitória para atendimento. Porém há a necessidade de um trabalho mais amplo envolvendo todos os órgãos públicos ligados ao problema, para que se consiga uma solução definitiva.

Últimos Vídeos

Carregando...

Charge

Publicidade

Publicidade

Arquivos

Publicidade