Selecione a página

Agora é lei: a partir de hoje Guarda Civil Municipal de Araraquara pode ser armada

Prefeito Marcelo assinou a sansão da lei municipal que autoriza o uso das armas letais pelos guardas

José Augusto Chrispim
Na tarde dessa sexta-feira (12), o prefeito Marcelo Barbieri, acompanhado do secretário municipal de Segurança, Orlando Mengatti Filho, do secretário de Governo, Aluísio Braz, o Boi, do presidente da Câmara Municipal, vereador Elias Chediek, do coordenador da Guarda Civil Municipal, Marcos Roberto da Silva, assinou a sansão ao projeto de lei 083/2015 que autoriza, a partir de hoje (13), o uso de armamento letal pelos guardas civis municipais de Araraquara. O projeto foi aprovado por 9 votos a 7 na sessão do último dia 2 de junho da Câmara Municipal, depois de vários debates entre os defensores do armamento e pessoas contrárias ao projeto.
Além dos guardas municipais, o ato de assinatura da sansão da lei contou a presença da Polícia Civil, representada por policiais da DISE e DIG, além da Defesa Civil de Araraquara, do coordenador das GCMs de Ribeirão Preto e Matão e do prefeito de Borborema Virgílio do Amaral Filho (PSDB) que estava acompanhado do coordenador e outros três guardas civis da sua cidade. Segundo Virgílio, a GCM de Borborema existe há 29 anos e, apesar da cidade ter apenas 15 mil habitantes, já se estuda a utilização do armamento letal no futuro.
Desabafo
Depois da execução dos hinos nacional e da GCM de Araraquara, o coordenador Marcos Roberto da Silva, agradeceu ao prefeito, ao secretário Nino e também aos vereadores pela conquista e, em seguida, fez um desabafo sobre os ataques sofridos pela corporação diariamente nas redes sociais. Ele falou que as pessoas que fazem as postagens são, em sua maioria, cidadãos que não respeitam as entidades e não respeitam a lei, e que os ataques ao invés de rebaixarem a estima dos guardas servem de estímulo para a superação.
“A lei vem para complementar o trabalho que a Guarda Municipal presta à população araraquarense”, disse Silva.
Projeto antigo
Tanto Nino Mengatti como o prefeito Marcelo, lembraram que desde a primeira gestão do atual governo o desejo de armar a GCM sempre esteve em pauta e, mesmo gerando muitas discussões, paulatinamente foi se tornando realidade.
“Apesar de ser um ato singelo de assinatura da lei hoje, ele representa a maturidade da Guarda Civil de Araraquara”, disse o prefeito.
Marcelo lembrou dos momentos dramáticos vividos pela corporação no ano passado tanto pelo episódio das câmeras de monitoramento que foram utilizadas de forma equivocada e também pelo fato de um guarda ter sido preso por envolvimento com o tráfico de drogas. Ele ponderou que os episódios negativos serviram de estímulo para fortalecer a GCM, que acabou se tornando mais madura com as adversidades.
“O debate sobre o projeto foi feito sem pressa e, no final, venceu a vontade da maioria da população representada pela Câmara dos Vereadores de Araraquara. A Guarda Municipal é um orgulho para mim como prefeito”, elogiou Barbieri.
Marcelo falou que a partir de hoje a GCM pode e será armada, mas de maneira responsável e respeitando o rigor da lei. “A Guarda Municipal armada dá mais autoridade ao poder municipal”, concluiu.
Mais verba
O prefeito disse que esteve em Brasília esta semana na tentativa de liberar a verba federal de R$ 801 mil que vai beneficiar a CGM de Araraquara. Ele se comprometeu a não deixar de lutar até que a verba seja liberada.

Últimos Vídeos

Carregando...

Charge

Publicidade

Publicidade

Arquivos

Publicidade