Selecione a página

Adolescente acusado de duplo latrocínio é preso pela Polícia Militar no Jardim Indaiá

Acusado foi reconhecido por testemunhas, mas negou o crime

José Augusto Chrispim
Na manhã dessa quarta-feira (6), a Polícia Militar prendeu o adolescente L.S., de 17 anos, suspeito de ser o autor do duplo homicídio cometido no final da tarde dessa terça-feira (5), durante um assalto a uma loja de móveis planejados, localizada na rua Luiz Rodrigues, no setor I do Selmi Dei. O roubo seguido de morte (latrocínio) vitimou o proprietário da loja, João Pedro da Silva, de 61 anos, e o funcionário Carlos Eduardo da Silva, de 37 anos.
Segundo o 1º tenente PM Rogério Gomes, logo após o crime, policiais militares realizaram diligências durante toda noite e a madrugada na intenção de prender o autor. Durante as diligências, populares deram algumas informações que levaram a identificação do adolescente, que já é conhecido nos meios policiais, pois no último sábado (2), foi apreendido pela Polícia Militar juntamente com outro adolescente e dois maiores de idade pela prática de crimes de receptação e roubo. Na ocasião, foi apreendido com o grupo um simulacro de arma de fogo.
Apreensão
Na manhã de ontem, ainda em diligências os policiais conseguiram localizar L.S. em sua casa, localizada na rua José Rodrigues da Silva, no Jardim Indaiá II, mesma região do local do crime. O acusado foi detido enquanto dormia tranquilamente depois de ter cometido dois homicídios. Ele foi conduzido para a Delegacia de Investigações Gerais (DIG), onde foi reconhecido por quatro testemunhas.
O delegado da DIG, Dr. Fernando Bravo, relatou para a reportagem de O Imparcial que durante o depoimento, o acusado negou o crime e disse que estaria em casa dormindo na tarde de terça-feira (5), mas caiu em contradição quando assumiu que um chinelo encontrado no local do crime era dele. “A gente já tinha suspeitas sobre esse adolescente que vem se envolvendo em vários crimes, por isso ele foi rapidamente localizado e reconhecido por quatro testemunhas, entre elas, dois filhos do proprietário da loja. Estamos trabalhando agora na investigação sobre a arma usada no crime que ainda não foi localizada e, existe a suspeita que a mesma tenha sido alugada e, inclusive, esteja sendo utilizada em outros delitos”, relatou Bravo.
L. já possui passagens criminais por roubo e receptação e já cumpriu medidas socioeducativas na Fundação Casa duas vezes. Depois de ser ouvido na DIG, ele foi apresentado à promotoria da Vara da Infância e Juventude que determinou sua internação no Núcleo de Atendimento Integral (NAI) de São Carlos.

Últimos Vídeos

Carregando...

Charge

Publicidade

Publicidade

Arquivos

Publicidade