Select Page

3ª Jornada de Cidadania e Empregabilidade traz dignidade aos reeducandos do CR

3ª Jornada de Cidadania e Empregabilidade traz dignidade aos reeducandos do CR

Da redação

O Centro de Ressocialização Masculino (CR) de Araraquara, realiza no período de 25 de junho a 2 de julho a 3ª Jornada da Cidadania e Empregabilidade. Na manhã dessa terça-feira (26) foi realizada a abertura do evento que contou com as presenças do diretor da unidade, Carlos Eduardo Serraglio, Ubirajara Ferreira Costa, da Funap, a diretora técnica do CR feminino, Jucélia Gonçalves da Silva, além de representantes da prefeitura de Araraquara.

O evento vem percorrendo as unidades prisionais do Estado e tem como objetivo oferecer serviços diversos e documentos pessoais aos reeducandos, dando a eles condições de estudar, trabalhar e prestar exames de saúde, ainda dentro da prisão e, assim, também contribuir para a remição de pena oriunda de trabalho e educação, além de auxiliá-los na retomada da vida quando ganharem a liberdade. A ação trará aos reeducandos emissão de documentos (RG, CPF, Carteira de Trabalho, Certidão de Nascimento/Casamento) e exames de saúde como aferição de glicemia, pressão e vacinação. Durante a Jornada também são ministradas palestras sobre diversos assuntos.

Referência

O CR masculino de Araraquara é considerado modelo de referência no país com índice de reincidência no crime de apenas 6%, quando a média nacional fica entre 7% e 10%. Na unidade prisional todos os 215 reeducandos trabalham distribuídos em uma indústria de blocos de cimento, uma fábrica de artigos para animais domésticos e, também, em várias secretarias do município com o qual o CR mantém um contrato de trabalho.

O diretor da unidade, Tuca Serraglio, destacou o trabalho que é realizado com os reeducandos que têm acesso aos estudos e ao Clube da Leitura. “Muitos internos chegam aqui sem nenhuma formação e saem com o segundo grau concluído, além de vários cursos de capacitação profissional que vão ajuda-lo a se recolocar no mercado de trabalho. Aqui nós trabalhamos com os quatro pilares que norteiam a ressocialização do ser humano, que são o trabalho, a família, a religião e a educação. Triste é a família que não tem uma religião, que não teme a Deus. Outro ponto importante é a educação, pois através dela nos tornamos mais qualificados para o trabalho que é o que nos mantém dignos. A Jornada é para vocês reeducandos, ela serve para mostrar para a sociedade o trabalho que a gente realiza aqui. Devemos criar pontes para transpor os obstáculos e não muros para dividir as pessoas”, resumiu o diretor.

Últimos Vídeos

Loading...

Arquivos