Select Page

Advertisement

Raízen inaugura primeira unidade de etanol de segunda geração



Evento contou com a participação da presidenta da República, Dilma Rousseff e do ministro da Secretaria de Comunicação Social, Edinho Silva

Publicidade

Advertisement

A Raízen realizou nesta quarta-feira, 22 de julho, evento de inauguração de sua primeira unidade de produção de etanol de segunda geração, biocombustível gerado a partir do processamento do bagaço e palha da cana-de-açúcar. O investimento total na nova planta instalada em Piracicaba foi de R$ 237 milhões. O projeto é um marco no setor e irá contribuir para que o Brasil se torne referência internacional na utilização de tecnologia avançada na produção de etanol de segunda geração.
O evento ocorreu na própria unidade e contou com a presença da Presidenta da República, Dilma Rousseff, do Governador do Estado de São Paulo, Geraldo Alckmin, do Prefeito de Piracicaba, Gabriel Ferrato, entre outras autoridades. A inauguração reforça a importância econômica do projeto para o Brasil e também para o setor. . “Essa inauguração é um salto em direção ao futuro. Queria parabenizar a Raízen por estar na vanguarda deste processo”, disse a Presidenta da República, Dilma Rousseff.
“O etanol de segunda geração é uma grande revolução no mercado. Fomos uma das primeiras empresas do mundo a produzir esse novo biocombustível. Acreditamos no potencial do produto para atender à crescente demanda por biocombustíveis, tanto no Brasil quanto no exterior”, afirma Vasco Dias, presidente da Raízen.
A unidade de produção de etanol de segunda geração tem capacidade para 42 milhões de litros anuais. Para garantir sua competitividade e eficiência, a nova planta foi construída estrategicamente ao lado da unidade Costa Pinto. A proximidade e a sinergia entre as duas unidades conferem ganhos logísticos e de custo, proporcionando eficiência e competitividade a todo o processo produtivo.
Além da primeira unidade em Piracicaba, a Raízen prevê a construção de mais sete plantas de etanol de segunda geração, após a produção da primeira planta se tornar viável comercialmente, ou seja, quando o custo do etanol de segunda geração atingir o mesmo patamar que o de primeira geração. A expectativa é que essas unidades sejam todas integradas às plantas de produção de etanol de primeira geração, elevando cerca de 50% a capacidade de produção de etanol da Raízen com a mesma área plantada.
Sobre a Raízen
A Raízen se destaca como uma das empresas de energia mais competitivas do mundo e uma das cinco maiores em faturamento no Brasil, atuando em todas as etapas do processo: cultivo da cana, produção de açúcar, etanol e energia, comercialização, logística interna e de exportação, distribuição e varejo de combustíveis. A companhia conta com cerca de 30 mil funcionários, que trabalham todos os dias para gerar soluções sustentáveis que contribuam para o desenvolvimento do país, como a produção de bioeletricidade e etanol de segunda geração a partir dos coprodutos da cana-de-açúcar. Com 24 unidades produtoras, a Raízen produz cerca de 2 bilhões de litros de etanol por ano, 4 milhões de toneladas de açúcar e tem capacidade para gerar cerca de 940 MW de energia elétrica a partir do bagaço da cana-de-açúcar. A empresa também está presente em 58 aeroportos, possui 63 terminais de distribuição e comercializa aproximadamente 25 bilhões de litros de combustíveis para os segmentos de transporte, indústria e varejo. Conta com uma rede formada por 5.428 postos de serviço com a marca Shell, responsáveis pela comercialização de combustíveis e mais de 951 lojas de conveniência Shell Select.

Últimos Vídeos

Loading...

Charge do Dia

  • Contas a pagar

Arquivos