Selecione a página

Mais de 44 mil reeducandos são vacinados contra a gripe

Mais de 44 mil reeducandos são vacinados contra a gripe

Os presídios subordinados à Coordenadoria da Região Noroeste (CRN) imunizaram 44.590 reeducandos durante a Campanha Nacional de Vacinação contra Influenza (H1N1), atingindo 83% da população prisional. O número representa um aumento de 6% na quantidade de presos vacinados em 2019 no comparativo com o ano passado, quando a vacina foi aplicada em 42.087 internos. Público-alvo da ação, 4.052 servidores também receberam a dose durante a campanha, realizada nas unidades prisionais de 6 a 31 de maio.

A população prisional entrou para o grupo de prioritários pelo Ministério da Saúde para vacinação em 2012, uma vez que os detentos vivem em locais fechados e aglomerados. Essa situação propicia a transmissão do vírus influenza pelo contato próximo – falar, tossir ou espirrar. O contágio também ocorre pelas mãos e objetos contaminados.

Anualmente, portanto, a Secretaria de Administração Penitenciária (SAP), por meio da Coordenadoria de Saúde do Sistema Penitenciário (CSSP) e Coordenadoria da Região Noroeste (CRN), promove a campanha de vacinação contra a gripe na população carcerária e servidores.

“Eles constam como grupo prioritário por estarem em confinamento e em ambiente de aglomeração. Por isso, a vacinação tem como objetivo a prevenção de várias complicações respiratórias ocasionadas pelo vírus influenza e também da morte”, explica a diretora do Centro Regional de Saúde da CRN, Aparecida Kalinsqui.

A ação nas unidades prisionais é feita em parceria com o Centro de Vigilância Epidemiológica do Estado de São Paulo (CVE), Grupo de Vigilância Epidemiológica Regional (GVE) e redes municipais de saúde.

Últimos Vídeos

Carregando...

Publicidade

Publicidade

Arquivos

Publicidade