Selecione a página

Jornalista é vítima de homofobia em mensagens de aplicativo

Vítima foi xingada pelo assessor de um deputado estadual do PSL, em grupo de ‘gays de direita’

Jornalista é vítima de homofobia em mensagens de aplicativo

Da redação

Um caso de homofobia foi registrado pelo jornalista Marcos Antônio de Oliveira Filho, de 23 anos, no 2º Distrito Policial, no último dia 19. A agressão verbal foi feita através de mensagens no grupo ‘QG de Direita’ no WhatsApp.

De acordo com o jornalista, no último dia 28 de maio, durante troca de mensagens entre ‘gays de direita’ e simpatizantes, um dos membros teria discordado de uma matéria que ele havia postado em um portal de informações, sobre a última manifestação de apoio ao presidente Jair Bolsonaro (PSL), realizada no dia 26 de maio. O rapaz, que é assessor parlamentar do deputado estadual Douglas Garcia (PSL) em São Paulo, o teria chamado de ‘jornaleiro (vulgo poc poc do mato) e também de feio, gordo e afeminado’, entre outros ataques pejorativos.

Se sentindo ofendido, Marcos foi até a delegacia de polícia e registrou um boletim de ocorrência de injúria (Artigo 140). O jornalista ainda relatou à reportagem que pretende processar o assessor parlamentar. O crime de injúria prevê pena de detenção, de um a seis meses, ou multa.

“Eu decidi entrar com o processo porque nunca sofri ofensa pessoal. Em relação a trabalho é comum, eu até vejo como crítica construtiva. Mas a questão de ofender a índole ou a integridade de uma pessoa, tentar menosprezá-la dessa forma, eu nunca me senti ofendido nem pela esquerda, que é muito criticada em relação a isso”, contou Marcos.

O acusado não foi encontrado para dar a sua versão.

Últimos Vídeos

Carregando...

Charge

Publicidade

Publicidade

Arquivos

Publicidade