Selecione a página

Frio intensifica serviços de acolhimento a pessoas em situação de rua

Frio intensifica serviços de acolhimento a pessoas em situação de rua

A Prefeitura Municipal, através da Secretaria de Assistência e Desenvolvimento Social, mantém serviços socioassistenciais para garantir atendimento e encaminhamento das pessoas que vivem em situação de rua.

E, neste período do ano, por conta do frio, esta situação de extrema vulnerabilidade se torna ainda mais arriscada, aumentando a necessidade de atenção. O desemprego, uso excessivo de álcool, drogas, desavenças familiares e transtornos causados por problema mentais e psicológicos estão também entre os motivos de alguns deles estarem nas ruas.

Para acolher essas pessoas e promover o acesso às políticas públicas que visam o resgate da dignidade, em parceria com instituições sociais, o Município disponibiliza uma rede de apoio, composta de profissionais e serviços especializados.

Um deles é o atendimento na Casa Transitória Assad Kan, uma unidade pública de acolhimento onde são oferecidos banho, roupas, produtos de higiene pessoal, refeição e pernoite. A pessoa passa também por atendimento com assistente social, que vai conduzir o seu encaminhamento para a rede socioassistencial mais adequada à situação.

A Casa Transitória fica aberta de segunda à sexta-feira a partir das 16h. Aos sábados, domingos e feriados, o atendimento é 24 horas.

Além da Casa Transitória, o Município também oferece o Serviço Especializado em Abordagem Social (SEAS), realizado diariamente nos períodos diurno e noturno, por agentes sociais, que fazem o atendimento in loco das pessoas em situação de rua, oferecendo serviços de acolhimento e de convivência social. Neste atendimento in loco, a equipe do SEAS também realiza o cadastramento e monitoramento diário dos moradores de rua do município.

Outro equipamento da Prefeitura oferecido às pessoas em situação de extrema vulnerabilidade é o Centro de Referência Especializado para a População em Situação de Rua, o Centro POP, espaço de socialização e convivência social, onde são oferecidos os serviços de banho, refeição, doação de roupas, produtos de higiene pessoal e oficinas socioeducativas. Também são realizados atendimentos com assistente social e psicólogo onde são efetuados os encaminhamentos para a rede socioassistencial pública e privada, demais políticas setoriais e órgãos de garantia de direitos. Por dia, atende 60 pessoas, em média.

Todos podem ajudar
Ana Cássia Limeira Volpe, Gerente de Proteção Especial da Secretaria de Assistência e Desenvolvimento Social, destaca que esta rede acolhimento da Prefeitura pode ser acionado por qualquer cidadão que encontrar uma pessoa em situação de rua e quiser ajudar. Basta ligar para uma Central de Atendimento, que funciona 24 horas, no telefone 3336-7510. Dessa forma, o SEAS será acionado para que a pessoa possa ser encaminhada a um dos serviços da rede.

A secretária municipal enfatiza, no entanto, que aceitar o atendimento é fator preponderante para atuação das equipes. Algumas pessoas recusam o acolhimento. “É feita a abordagem e nós oferecemos o nosso atendimento. Mas, caso a pessoa não aceite, nós fornecemos cobertores e continuamos monitorando a situação. Não podemos obrigar ninguém a sair da rua, por mais que este seja o nosso desejo”, conclui ela.

Últimos Vídeos

Carregando...

Charge

Publicidade

Publicidade

Arquivos

Publicidade