Selecione a página

Edição especial de aniversário de Araraquara

Edição especial de aniversário de Araraquara

Prédio da Câmara e Revolução de 30

No ano de 1929 a Câmara autorizou a construção de um prédio para abrigar a Escola Normal Livre, anexo do Ginásio Mackenzie. Trata-se do mesmo edifício que abrigava a Câmara Municipal ainda recentemente.

Na primeira e única Sessão ordinária da Câmara Municipal realizada no ano de 1930, que foi aquela em que se elegeu o Prefeito da cidade, Bento de Abreu Sampaio Vidal proferiu discurso enaltecendo todo o trabalho desenvolvido pelos líderes políticos locais desde o início do século na construção da Nova Araraquara. Meses depois, em 11 de abril de 1930, realizou uma Sessão Extraordinária da Câmara Municipal onde decidiu pelo envio de um telegrama felicitando o Presidente Washington Luis por ter conseguido manter a ordem no pleito que elegeu Júlio Prestes para o cargo de Presidente da República.

Prestes nunca chegou a assumir o cargo, e nem a Câmara de Araraquara voltaria a se reunir novamente. Em outubro daquele ano, estourou a Revolução de 1930 que levou Getúlio Vargas e os Tenentistas ao poder colocando fim ao período da Velha República no país. Por aqui, o Prefeito Plínio de Carvalho precisou fugir da cidade.

Greve na EFA e Plinio é preso

Com a Revolução de 30 a Câmara dos Deputados é fechada, os prefeitos são substituídos por Governadores Municipais e as Câmaras de vereadores também são fechadas. O Governo Provisório promete reformas políticas e a convocação de uma constituinte.

Em 1º de novembro de 1930 estoura uma greve nas oficinas da EFA, que logo se encerrada. Dias depois, Plínio de Carvalho é acusado de patrocinar perseguições políticas e é preso em São Paulo. No mesmo mês de novembro é lançada pela diretoria da EFA, uma campanha para arrecadação junto a funcionários daquela Cia. para, com os recursos, ajudar o país a saldar sua dívida externa. Em julho de 1931 a cidade recebe a visita do interventor federal no Estado, Cel. João Alberto. No mesmo ano nasce o jornal O Imparcial.

Nasce o Tiro de Guerra e estoura a Revolução de 32

No ano de 1932, como o Governo Provisório nada fazia para a convocação da constituinte alguns estados brasileiros se revoltam. É lançada em São Paulo a Campanha Nacional Para a Constituinte. Nasce em Araraquara a rádio Cultura. No dia 19 de março daquele ano, a Linha de Tiro da cidade é elevada à condição de Tiro de Guerra, mantendo, no entanto, sua designação numérica 610.

O organismo passa a ser denominado Pelotão Nº.610, ou Tiro de Guerra 610. A partir daí os jovens araraquarenses passaram a fazer o serviço militar aqui mesmo, na cidade. Em Julho de 1932 explode a Revolução Constitucionalista em São Paulo. Araraquara envia 541 filhos de nossa terra para os campos de batalha, seis morrem em combate.

 

Últimos Vídeos

Carregando...

Charge

Publicidade

Publicidade

Arquivos

Publicidade