Selecione a página

Moisés Egert é o novo técnico da Ferroviária

Treinador espera levar o time à ascensão e repetir em Araraquara o sucesso que teve no XV de Piracicaba


Carlos André de Souza

Um novo comando para colocar a Ferroviária no caminho da salvação no Campeonato Paulista da Série A2. É com esse pensamento que a diretoria afeana elegeu Moisés Egert como o novo técnico da equipe araraquarense para a sequência da competição. Ele chega para substituir Ito Roque, que abdicou ao seu cargo no início da semana passada após momentos turbulentos à frente da equipe grená.

O escolhido tem uma difícil missão pela frente, já que os fiéis da Ferroviária parecem desacreditados com o futuro do time na Série A2. No momento, a equipe ocupa a 15ª colocação, com apenas 12 pontos conquistados em 12 jogos, e o tão temido rebaixamento parece mais próximo do que a tão sonhada ascensão entre os grandes clubes do futebol estadual.

Moisés Egert é dono de um talento promissor entre os técnicos do interior paulista. Exerce a função desde 2010 e já conquistou dois acessos com o XV de Piracicaba (da Série A3 para a A2 em 2010 e da A2 para a A1 em 2011). Conquistou também o título da Copa Paulista do ano passado à frente do Noroeste, superando na final o Audax, que eliminou a Ferroviária na semi. Dirigiu ainda o Rio Branco de Americana e neste ano estava no União Barbarense, que disputa a Série A1. Nascido em Caxias do Sul (RS), o técnico de 36 anos iniciou sua carreira como jogador, defendendo várias equipes do Sul e do interior de São Paulo até encerrar prematuramente sua trajetória nos campos por conta de um problema no joelho.

O novo líder grená elogiou o grupo e garantiu que chega a Araraquara com o objetivo de elevar à equipe à divisão que nunca deveria ter saído. “Tenho convicções que me fizeram vir para cá. Gosto de vencer e o elenco que a Ferroviária possui me dá essa condição. O Ito Roque e o Jorge Saran deixaram uma boa estrutura montada, pois já vi essa equipe jogando e sei que independente das derrotas ou vitórias, o trabalho foi bem feito. Agora somente com os trabalhos do dia a dia vou ter conhecimento para implantar minhas ideias para fazer a equipe evoluir”, explicou.

Sem cerimônias, Moisés Egert já treinou o time em dois períodos ontem. De manhã, se reuniu com o grupo no CT do Pinheirinho, onde proferiu palavras de motivação e confiança. À tarde, comandou atividades táticas no campo da Iesa. Hoje, na Arena da Fonte, ele realizará o último trabalho com o objetivo de preparar a equipe para o jogo de amanhã, às 16 horas, contra o Grêmio Barueri, na casa do adversário. A vitória é de extrema importância, já que o rival ocupa a penúltima colocação, com apenas 7 pontos. Para isso, a defesa precisará deixar de praticar a caridade com os ataques adversários e o setor ofensivo deve fazer os gols para acabar com o martírio dos maus resultados.

“A Ferroviária, por sua história e passado, deve lutar por títulos e não para não ser rebaixada. O que gera resultados é o trabalho. A possibilidade de classificação existe e vamos atrás dela”, assegurou.

Resta saber se ele conseguirá guiar a Ferroviária pelo caminho da ascensão e atender à prece dos afeanos, que já dura 17 anos.

Últimos Vídeos

Carregando...

Charge

Publicidade

Publicidade

Arquivos

Publicidade