Select Page

Base para a evolução

Em seu discurso, o vereador Aluisio Braz, o Boi, presidente da Câmara Municipal, ressaltou a importância da retomada das categorias de base da FerroviáriaNa noite da última segunda-feira, dia 18 de abril, na Arena da Fonte Luminosa, foi fechado convênio com a Prefeitura para manutenção das categorias de base do time de futebol da Ferroviária S/A. Além do vereador Aluisio Braz, o Boi (PMDB), presidente da Câmara Municipal, o Legislativo local também foi representado pelos vereadores João Farias (PRB), Lucas Grecco (PMDB), Paulo Maranata (PR) e Elias Chediek Neto (PMDB). “É o recomeço para a história grandiosa da Ferroviária, que precisa voltar a revelar jogadores. A maior conquista da Ferroviária é o respeito pela sua camisa e, com o retorno das categorias de base, essa camisa será cada vez mais respeitada”, declarou Boi.

Para o prefeito Marcelo Barbieri (PMDB), a participação da Prefeitura será importante para proporcionar aos garotos talentosos da cidade possibilidade de exercer o futebol profissional sem sair de Araraquara, como ocorre hoje. Além disso, ele ressaltou que não existe time profissional sem categoria de base. “Não adianta a Ferroviária subir para a primeira divisão e cair de novo. Cuidar das categorias de base é papel da Prefeitura, até mesmo pelo papel social desse trabalho”, acrescentou.

Fusão
Marcelo lembrou que neste ano a Prefeitura não quis investir entre R$ 100 mil e R$ 120 mil para a realização da Copa São Paulo de Futebol Junior em Araraquara, pois não havia um time de garotos para a disputa do torneio. “Em 2010 participamos, mas era um time do Paraná representando a cidade e apenas um atleta ficou na cidade. Por isso, preferimos investir na base para voltar a participar em 2012 com nossos atletas”, afirmou Marcelo. “É o mesmo raciocínio da Prefeitura nos Jogos Regionais. Preferimos ficar em terceiro lugar com atletas da cidade do que pagar atletas para ganhar”, completou.

O prefeito adiantou ainda que a Prefeitura deve arcar com R$ 200 mil da atual dívida da Ferroviária, que chega a pouco menos de R$ 400 mil, porque o Executivo está arrolado em processos judiciais referentes aos débitos.

Ele afirmou ainda que no prazo de aproximadamente 45 dias deve ser fechada fusão entre a Associação Ferroviária de Esportes (AFE) e a Ferroviária S/A, para facilitar a captação de recursos entre empresas. “Não pode ter duas ferroviárias. Hoje a S/A é a gestora do futebol, mas o time de 61 anos pelo qual sempre torcemos é a velha Ferroviária. A fusão é importante para reaproximar o time da sociedade”, disse.

Déficit
Segundo o presidente da Ferroviária S/A, Welson Alves Ferreira Junior, o Juninho, atualmente a empresa tem déficit de R$ 40 mil a R$ 50 mil por mês, o que impede investimento nas categorias de base. “Uma categoria de base custa cerca de R$ 40 mil por mês, com um trabalho simples, apenas com uniforme, alimentação e taxas de arbitragem. E hoje os times de futebol sobrevivem de patrocínio e venda de jogadores, o que somente é possível com esse trabalho com garotos”, avaliou Juninho.

A parceria envolve as categorias Sub-15 e Sub-17, cabendo à Prefeitura fornecer espaços para treinamento e técnicos para o projeto, que conta hoje com 60 atletas. A retomada das categorias de base, que estavam desativadas desde 2009, inclui ainda o retorno em breve da categoria Sub-20.

Advertisement

Últimos Vídeos

Loading...

Arquivos