Select Page

Torcida Afeganistão comemora aniversário



Grupo de torcedores apaixonados pela Ferroviária completa nove anos de alegrias, tristezas, polêmicas e solidariedade

Torcida Afeganistão comemora aniversário

Carlos André de Souza

Esta quarta-feira (19) foi dia de festa para quem costuma fazer a festa na arquibancada. A Torcida Organizada Afeganistão completou nove anos de fundação. O amor incondicional pela Ferroviária move o grupo que foi fundado no dia 19 de dezembro de 2009 por adolescentes da Zona Leste de Araraquara e desde então leva toda sua energia aos jogos da Locomotiva, tanto dentro como fora de casa.
Para a Afeganistão não existe distância para apoiar a Ferroviária. Uma das provas de amor pelo time foi a viagem até Pernambuco, onde a equipe enfrentou o Salgueiro pela Copa do Brasil de 2016. E o grupo se orgulha de ter marcado presença em todos os momentos bons e ruins da equipe. O acesso à Série A1, conquistado em 2015 em Guaratinguetá, foi um dos momentos mais marcantes que fizeram seus integrantes ignorarem os mais de 420 quilômetros de distância percorridos para acompanharem de perto o momento histórico.
“Nessa quase uma década, passamos por várias dificuldades, mas a disposição de estar ao lado do time do nosso coração fez com  que  superássemos  todas as adversidades. Hoje estamos honrados e orgulhosos de fazer parte desta família. A todos os associados, membros e simpatizantes deixamos aqui o nosso muito obrigado”, afirma Douglas Campos, presidente da torcida.
Ao longo dessa trajetória houve polêmicas, como os sinalizadores acesos na final da Copa Paulista do ano passado, o que gerou punição para a Ferroviária em 2018, em uma atitude que gerou muitas críticas. Alguns torcedores, no entanto, garantem que o jogo foi parado em um momento em que o time adversário pressionava insistentemente em busca do gol, o que poderia comprometer o título naquela ocasião. O grupo também age muitas vezes como ‘porta-voz’ dos outros torcedores ao criticar preços de ingressos e pedir raça dentro de campo.
O caminho de nove anos teve também tristezas e a maior delas foi a perda repentina de um de seus diretores, Willian Molina, que hoje tem sua imagem ilustrando uma bandeira que acompanha a torcida em todos os jogos. O torcedor, aliás, foi homenageado pelo ídolo Douglas Onça no maior título das Guerreiras Grenás, que foi a Libertadores da América Feminina de 2015 na Colômbia.
Os adolescentes cresceram e o espírito de apoiar cresceu junto. E esse espírito não se resume apenas aos jogos. A Afeganistão vem também marcando seu nome nas ações sociais de Araraquara. Várias campanhas foram promovidas, desde ações voltadas para arrecadar brinquedos no Dia das Crianças e Natal, chocolates na Páscoa, campanhas do agasalho e ações para arrecadar produtos de higiene pessoal para asilos da cidade.
A última campanha é a Ação Solidária Sangue Grená, que visa colaborar com o Hemonúcleo de Araraquara. As datas escolhidas para integrar a campanha são hoje e amanhã, quando os interessados deverão se dirigir até o Hemonúcleo para fazer a doação de sangue.
Assim, a Afeganistão segue firme, rumo à sua primeira década de vida. Com polêmicas, alegrias e tristezas, mas sempre sendo o coração que pulsa na arquibancada, transformando energia em motivação dentro e fora de campo.

Últimos Vídeos

Loading...

Charge do Dia

Publicidade

Publicidade

Arquivos