Selecione a página

Servidoras têm aula de defesa pessoal israelense

O auditório da CRN recebeu, ainda, uma palestra sobre violência contra a mulher

Servidoras têm aula de defesa pessoal israelense

Luta com origem em Israel, o Krav Magá tem ganhado cada vez mais adeptos que buscam se defender da violência, principalmente as mulheres. E, no Dia Internacional da Mulher, celebrado em 8 de março, servidoras estaduais que atuam na Coordenadoria de Unidades Prisionais da Região Noroeste (CRN) tiveram uma manhã de homenagens bastante diferente: além de receberem flores e mensagens de carinho, elas também aprenderam técnicas de defesa pessoal israelense.

A aula, descontraída e desafiante ao mesmo tempo, foi ministrada pelo professor Raimundo Nonato, mestre em Krav Magá. O auditório da CRN recebeu, ainda, uma palestra sobre violência contra a mulher. A data também foi comemorada nas demais unidades prisionais da região, com atividades voltadas tanto para as funcionárias quanto para as reeducandas.

A alta taxa de crimes contra a mulher é um dos principais fatores que explica o público feminino na modalidade de luta que trabalha, entre outros aspectos, a autodefesa.

“Qualquer objeto, seja uma caneta, um prendedor de cabelo ou até um pedaço de jornal, vira uma arma poderosa na mão de uma mulher que souber aplicar as técnicas do Krav Magá”, elencou Nonato, enquanto simulava situações de ataques, apresentando reações que devem ser utilizadas em defesa da vítima.

Um dos conteúdos da aula apresentou os pontos mais vulneráveis de uma pessoa: olhos, temporal, garganta, nariz, orelhas e genital; e golpes para atingir essas áreas com a intenção de se livrar do ato de agressão. “Não precisa de força. O segredo está no modo como você articula os movimentos e saber a região certa do corpo a ser atingida”, completa o professor.

Servidora que participou da atividade, Maria Julia Oliveira dos Santos Freitas aprovou a atividade. “Aula muito boa. Aprendemos técnicas eficazes para a nossa defesa. Nem imaginávamos o quanto podemos nos defender de situações complicadas, de maneira prática e inteligente”, frisou.

Realizado pela Comissão Interna de Prevenção a Acidentes (CIPA) do Centro de Qualidade de Vida e Saúde do Servidor (CQVidass) da CRN, o evento contou com a participação de aproximadamente 30 servidoras da Secretaria de Administração Penitenciária (SAP), que assistiram, também, à palestra “Violência Contra Mulher”, ministrada pela psicóloga do Sindicato dos Servidores Públicos do Sistema Penitenciário Paulista (Sindcop), Vânia Pereira.

Reeducandas discutem empoderamento feminino  

Funcionárias das unidades prisionais da Região Noroeste (CRN) receberam diversas homenagens pelo mês dedicado às mulheres, como café da manhã especial e palestras com temas variados, incluindo a prevenção do câncer do colo de útero, pauta que compõe a Campanha Março Lilás.

A data também contemplou as unidades femininas. Na Penitenciária Feminina de Guariba, por exemplo, as reeducandas da Ala da Amamentação participaram de debate intitulado “Empoderamento Feminino”. O mesmo assunto pautou atividade realizada na Penitenciária Feminina de Ribeirão Preto.

As presas da Penitenciária Feminina “Sandra Aparecida Lario Vianna” de Pirajuí assistiram uma palestra com o tema “A Mulher na História” e produziram cartões de homenagem para distribuir às mulheres que participaram do debate.

Últimos Vídeos

Carregando...

Charge

Publicidade

Publicidade

Arquivos

Publicidade