Select Page

Nova diretoria não consegue tomar posse na Associação Atlética Ferroviária



Mesmo com mandado da Justiça em mãos, membros da nova diretoria não conseguiram entrar na sede da entidade

Nova diretoria não consegue tomar  posse na Associação Atlética Ferroviária

Da redação

Ainda não foi desta vez que a empresária Cidinha Pavanelli conseguiu tomar posse da Associação Atlética Ferroviária. Ela, que foi escolhida para ser a nova administradora provisória em 1º de fevereiro, foi até a sede da entidade localizada na Vila Xavier na manhã dessa terça-feira (5), com um mandado em mãos, porém, mesmo com a presença da Polícia Militar não conseguiu entrar nas dependências da entidade que estava com o portão fechado com cadeado. No ano passado, a Prefeitura de Araraquara chegou a levantar a hipótese de venda da área que pertence ao município, mas o projeto não passou na Câmara dos Vereadores.

O Tribunal de Justiça de São Paulo, Comarca de Araraquara emitiu uma certidão em 31 de outubro de 2018, julgando procedente a nomeação de Cidinha como administradora provisória da Associação Atlética Ferroviária. Ela deveria ter tomado posse em 1º de fevereiro de 2019.

O ofício dando conta das novas prerrogativas foi entregue ao prefeito Municipal Edinho Silva (PT), através de protocolo, no dia 7 de dezembro sob nº 001.839/2010, e também ao atual presidente da entidade, Edson Aparecido de Souza, o Legui, que deveria ter entregado as chaves da entidade na manhã de ontem, mas ele não compareceu ao local.

De acordo com Cidinha, seu advogado Dr. Paulo Sérgio Aparecido Vianna, entrou em contato com Legui na tarde de segunda-feira (4), que alegou que não iria, pois afirmou não ter recebido nenhuma intimação. Procurado por telefone na manhã de ontem (5), ele teria dito que estava de posse das chaves da entidade. Disse também já ter conversado com a Secretaria de Esportes Municipal que lhe informou que “o espaço pertence ao município e, caso alguém lhe procurasse, deveria mandar procurar a prefeitura”. Legui também teria afirmado que “não tem nenhuma documentação e que o CNPJ da Associação está cancelado desde 2012”.

Novo pedido na Justiça

A empresária relata que deve entrar agora com um pedido na Justiça para que um oficial de justiça a acompanhe na abertura do portão.

Cidinha também entrou em contato via telefone com o prefeito Edinho, para pedir informações sobre sua posse, mas não conseguiu resposta para um agendamento de reunião. Ainda na manhã de ontem, um dos diretores da Atlética recebeu um recado da prefeitura, afirmando que o prefeito não havia sido notificado da ação da Justiça, porém, o documento foi protocolado na prefeitura.

Má administração

Ainda de acordo com a nova administradora, a Atlética vem há anos sendo má administrada, por isso, hoje amarga uma dívida de cerca de R$ 15 mil com a CPFL, além de não possuir alvarás da Vigilância Sanitária e do Corpo de Bombeiros.

“Quero voltar ao comando da entidade para fazer um balanço administrativo, planejar novas diretrizes, ações corretivas e adoção de novas medidas, visando a implantação de um projeto de desenvolvimento e modernização do clube”, ressaltou.

Projetos esportivos

Através de nota, a assessoria de imprensa da Prefeitura de Araraquara informou que não há no momento perspectiva de envio de projeto de venda da área para a Câmara Municipal.

Destaca também que o município tem como objetivo assumir a gestão do espaço, onde pretende desenvolver mais projetos esportivos.

Últimos Vídeos

Loading...

Charge do Dia

Publicidade

Publicidade

Arquivos