Selecione a página

Moradores da região central ficam quase 30 horas sem água

Corte no fornecimento começou às 8h de terça-feira (16) e abastecimento só retornou por volta de 13h30 de quarta-feira (17)

Moradores da região central ficam quase 30 horas sem água

Ariane Padovani

Moradores da região do Carmo, São Geraldo, Centro, Santana, Vila Progresso, Jardim dos Ipês, Vila Kátia e arredores ficaram quase 30 horas sem água em suas residências e estabelecimentos. O corte no fornecimento começou às 8h de terça-feira (16) e a água só retornou por volta das 13h30 dessa quarta-feira (17).

De acordo com nota divulgada pelo Departamento de Água e Esgoto de Araraquara (Daae), a interrupção aconteceu por causa de um serviço de interligação de redes de água para melhorias na região central e na Fonte Luminosa, que está sendo feita na Rua Expedicionários do Brasil (Rua 8), esquina das Avenidas Prof. Jorge Correa e Ângelo Hortense, e na Avenida Monteiro Lobato, esquina com a rua Adélia Izique, no Centro.

Ainda segundo o Daae, suas equipes trabalharam durante toda a noite de terça-feira e, por volta das 5h da manhã dessa quarta, ocorreram problemas novamente.

Luis Antônio Gonçalves da Silva, de 66 anos, morador da região central, ficou 12 horas sem água. “A minha esposa ligou no Daae e eles falaram que avisaram, mas eu não ouvi nada. Eu tenho caixa d’água de 500 litros em casa, mas foi um racionamento. A torneira da pia da cozinha não é da caixa, é da rua, então minha mulher teve que pegar água da torneira do banheiro para lavar a louça. Foi um transtorno. E para tomar banho nesse frio tem que desligar o chuveiro para se ensaboar e você nem sabe se a água vai acabar. E se acaba e você está ensaboado?”, questionou o engenheiro de segurança.

A moradora do Centro Maria Cristina de Barros tem caixa d’água em casa, mas estava com quatro pedreiros trabalhando em sua residência e passou por momentos de estresse com o corte no fornecimento. “Eu entendo que problemas acontecem, mas foi um dia e meio. Eu tinha água para as coisas básicas, mas o filtro, por exemplo, é ligado na água da rua e não tinha. E eu tenho um aquário de 200 litros, é peixe, mas é vida, não posso ficar sem água”, desabafou Maria Cristina.

Já a podóloga Maria Zeni de Almeida disse que passou por grandes dificuldades, devido á falta de água que durou quase 30 horas na sua casa que fica na Rua Imaculada Conceição. “Minha sogra usa fraldas e meu chuveiro só tem água da rua. Passei um dia e meio sem uma gota de água nas torneiras, isso é inadmissível”, reclamou.

A reportagem do O Imparcial tentou entrar em contato com o Daae no final da tarde dessa quarta-feira (17), mas foi dito que mais informações só poderiam ser passadas nesta quinta-feira (18).

 

Maria Cristina estava com pedreiros trabalhando em sua residência e a falta de água causou transtornos

Últimos Vídeos

Carregando...

Charge

Publicidade

Publicidade

Arquivos

Publicidade