Selecione a página

Moderna Fonte Luminosa comemora uma década

Reinauguração no dia 22 de outubro de 2009 marcou uma nova fase do futebol de Araraquara

Moderna Fonte Luminosa comemora uma década

Texto: Carlos André de Souza
Fotos: Tetê Viviani e Assessoria/AFE

 

Nesta terça-feira, dia 22, o Estádio da Fonte Luminosa completará dez anos de sua reinauguração, onde foi apresentada para o público a modernização que iniciou uma nova era para o futebol de Araraquara. A partida inaugural do dia 22 de outubro de 2009 ainda está na memória do araraquarense, que lotou as arquibancadas com o maior público já recebido no local, de 21.254 pessoas, marca que logo de cara superou o recorde de 19.421 torcedores estabelecido em 1993 na partida em que a Ferroviária perdeu para o Palmeiras por 1 a 0 pelo quadrangular final do Paulistão. Na partida de 2009, no entanto, não houve cobrança de ingressos, já que um dos patrocinadores da época, o Supermercado Patrezão, comprou e distribuiu as entradas. Também por conta do patrocinador, a Locomotiva atuou com um uniforme comemorativo amarelo.

Em campo, não faltou emoção. Do lado do Ituano estava o goleiro Éder, ex-afeano que tinha o carinho dos torcedores grenás e iniciou a partida com grandes defesas. E em um confronto equilibrado pela Copa Paulista, quem teve a honra de fazer o primeiro gol do novo palco foi o lateral-esquerdo afeano Fernando Luís, que cabeceou aos 35 minutos do primeiro tempo para estufar a rede e causar uma explosão de alegria no estádio. Logo aos 2 minutos do segundo tempo, Daniel Faria driblou o goleiro afeano Marcão e fez o gol de empate do Ituano. Aos 29, o lateral afeano Assis cobrou falta na área, onde Joel desviou para fazer o gol da vitória grená.
Desde então, a arena multiuso recebeu jogos do Paulistão e do Brasileirão, Copa São Paulo de Juniores, futebol feminino, decisões do futebol amador e shows musicais, além de outros eventos que marcaram a história da cidade.

 

Reformas

A antiga Fonte Luminosa foi inaugurada em 10 de junho de 1951, ocasião em que a Ferroviária recebeu o Vasco da Gama e perdeu por 5 a 0. O primeiro gol no gramado araraquarense foi marcado por Friaça, que foi autor do gol de honra da Seleção Brasileira na derrota por 2 a 1 para o Uruguai na final da Copa do Mundo de 1950. Ao longo das décadas, o local passou por diversas reformas.

Mas foi em 2008 que foi batido o martelo para sua transformação em uma arena multiuso. Edinho Silva, na ocasião terminando seu segundo mandato como prefeito, tinha como meta impedir que o estádio fosse à leilão e se tornasse foco de empreendimentos imobiliários. Apesar de ser muito criticado, o prefeito conseguiu reverter a situação em uma operação junto ao Clube Araraquarense e a partir daí decidiu reformar o estádio, que foi municipalizado. Com insistência, Edinho conseguiu angariar uma verba de R$ 20 milhões junto ao então ministro dos Esportes, Orlando Silva. Mais R$ 5 milhões foram levantados a partir de uma parceria com a Funcef que envolveu os pavilhões da Facira. No final, já em 2009, a obra necessitou de mais dois milhões, que foram completados pelo prefeito Marcelo Barbieri, totalizando R$ 27 milhões.

Em 2008, o estádio teve parte da sua estrutura demolida para o início das obras da nova Fonte Luminosa. No período entre junho de 2008 e outubro de 2009, o time grená mandou seus jogos, inicialmente em Taquaritinga e depois no recém-inaugurado Estádio Cândido de Barros, no Jardim Botânico.

 

Ferroviária

Nesses dez anos, não faltou emoção para os torcedores da Ferroviária. Logo no ano seguinte da inauguração, em 2010, o time araraquarense foi vice-campeão da Série A3 do Campeonato Paulista e carimbou seu acesso com um time que marcou época. Entretanto, o clube permaneceu na Série A2 durante os cinco anos seguintes. Ainda em 2010, a Locomotiva fez um amistoso na Fonte com o Santos, na época comandado pelo técnico araraquarense Dorival Júnior, que foi homenageado pela Ferroviária no dia. Com gols de Neymar (de pênalti com paradinha), Alan Patrick e Breitner, o alvinegro levou a melhor por 3 a 0.

Em 2011, a Locomotiva terminou a primeira fase do estadual na sétima colocação. Na Copa Paulista, a equipe chegou às quartas de final, mas sucumbiu diante do Comercial de Ribeirão Preto. Mas foi naquele torneio que foi marcado aquele que é visto até hoje por muitos torcedores como o gol mais bonito marcado na nova arena. No dia 21 de setembro daquele ano, aos 26 minutos do primeiro tempo do jogo contra o Botafogo de Ribeirão Preto, Daniel Costa, camisa 10 daquele time, recebeu a bola em seu campo de defesa, ganhou na corrida de dois adversários, cruzou a linha do meio de campo, avançou, driblou dois marcadores na intermediária, invadiu a área deixando mais um defensor para trás, driblou o goleiro e finalizou rasteiro em uma bola que quase foi tirada pelo zagueiro, que não conseguiu evitar que ela estufasse a rede, para alegria da torcida. O jogo terminou em 4 a 1 para o time grená, que posteriormente homenageou Daniel com uma placa pelo gol.

Em 2012, com nomes de peso como Fabrício Carvalho e Wellington Amorim, a Locomotiva teve boas atuações diante de sua torcida no estádio. A virada sobre o São Carlos por 3 a 2 – após sair perdendo por 2 a 0 – foi um dos momentos de emoção no torneio. A Ferroviária foi a quinta colocada na primeira fase e chegou a dar esperanças ao torcedor, que viu a equipe ser eliminada na segunda fase. Na Copa Paulista, o time teve uma boa campanha até ser eliminado na semifinal para o Audax.
Já a Série A2 de 2013 foi traumatizante para o torcedor afeano, que viu a equipe ter um desempenho que parecia levá-la para o rebaixamento. No dia 31 de março, a Locomotiva tinha uma missão que parecia impossível: precisava vencer o Santo André na Fonte e ainda torcer por tropeços de dois concorrentes direto à queda. O clima estava tenso nas arquibancadas, mas com uma grande atuação do goleiro Everton e com gol de Jonatas Obina, a equipe venceu o time do ABC por 1 a 0 e contou com vitórias de Capivariano e Portuguesa sobre Noroeste e São Carlos, resultados que asseguraram a Ferroviária na Série A2 do ano seguinte, para festa do público afeano. Na Copa Paulista, a equipe grená teve uma campanha regular na primeira fase e sucumbiu na segunda.

O Campeonato Paulista de 2014 teve seu regulamento modificado por conta da Copa do Mundo e foi disputado no sistema de pontos corridos, em turno único. O time araraquarense teve bons momentos na competição, mas caiu de rendimento na reta final e terminou em 9º. Na Copa Paulista, mais uma eliminação na segunda fase.

Mas o melhor estava guardado para o ano de 2015. Com Milton Mendes no comando e nomes de expressão como Rodolfo, Luan, Paulo Henrique, Roberto, Danilo Sacramento, Alan Mineiro, Tiago Adan, Elder Santana, entre outros, a Ferroviária teve uma campanha brilhante e conquistou o tão esperado acesso à elite, patamar que não ocupava desde 1996. Novamente com uma competição de pontos corridos e turno único, a Locomotiva teve na Fonte Luminosa uma grande arma, já que chegou à última rodada com 100% de aproveitamento em casa, porém o empate sem gols com o Guarani interrompeu a marca. Em casa, um dos destaques foi a vitória de 7 a 1 sobre o Monte Azul na reta final, resultado que fez a torcida realmente confiar no acesso. Naquele ano, a diretoria optou por não disputar a Copa Paulista.

O ano de 2016 reservava grandes emoções. O técnico português Sérgio Vieira foi trazido para comandar o retorno da Ferroviária entre os grandes do estado. E com um futebol envolvente e um toque de bola característico, a Ferroviária protagonizou grandes atuações no gramado araraquarense, entre elas o empate por 2 a 2 com o Corinthians de Tite, que chegou a eleger aquela partida como a melhor do campeonato. A vitória por 2 a 1 sobre o Palmeiras em pleno Allianz Parque empolgou a torcida e a mídia esportiva, porém a equipe caiu bruscamente de rendimento e quase amargou o rebaixamento nas últimas rodadas. Na Copa do Brasil, o torcedor afeano presenciou mais uma daquelas partidas memoráveis no empate por 3 a 3 com o Fluminense. No mesmo ano, a Locomotiva teve uma campanha brilhante na Copa Paulista com a liderança nas duas primeiras rodadas. Chegou à final e acabou derrotada para o XV de Piracicaba nos pênaltis na Fonte Luminosa.

Em 2017, a equipe voltou a brigar para não cair. Na reta final, a diretoria efetivou o técnico PC de Oliveira, araraquarense dono de um currículo glorioso no futsal. O jogo marcante daquela campanha foi a vitória sobre o Corinthians por 1 a 0 na Fonte Luminosa, com gol de Alan Mineiro e uma atuação brilhante do goleiro Tadeu, que fez sua estreia como titular. O mesmo time do Corinthians seria campeão e posteriormente acumularia uma invencibilidade de cinco meses, que o levaria também ao título brasileiro. Na Copa Paulista, a Locomotiva voltou a apresentar um futebol consistente, que a levou ao título conquistado em casa, na decisão por pênaltis contra a Inter de Limeira, novamente com atuação determinante de Tadeu.

O ano de 2018 foi de preocupação no Paulistão, porém a salvação da queda ocorreu com mais tranquilidade, faltando duas rodadas para o fim da primeira fase. Mas o retorno ao Brasileiro da Série D foi decepcionante, com uma eliminação ainda na primeira fase. Na Copa Paulista, a Ferroviária voltou a chegar à final, que novamente foi decidida nos pênaltis. Dessa vez, com derrota para o Votuporanguense.

O Paulistão 2019 foi de alegria para os afeanos, que viram a equipe voltar a chegar ao mata-mata sob o comando de Vinícius Munhoz, que chegou a receber um elogio do técnico Tite, da Seleção Brasileira. O confronto das quartas de final contra o Corinthians terminou empatado por 1 a 1, assim como a partida de volta, em Itaquera, que foi decidida nos pênaltis, onde o alvinegro levou a melhor. No Brasileiro da Série D, a Locomotiva mais uma vez não conseguiu mostrar sua melhor produtividade e acabou eliminada fora de casa nos pênaltis para o Cianorte na segunda fase. Na Copa Paulista deste ano, a Ferroviária teve um início arrasador, caiu de rendimento na segunda fase, mas acabou eliminada na terceira.

 

Futebol feminino

Antes das atletas do futebol feminino da Ferroviária serem apelidadas de Guerreiras Grenás, elas atuavam no Estádio do Botânico. Mas em 2010, com a classificação para a semifinal do Campeonato Paulista, os jogos decisivos foram levados para a Fonte Luminosa. O time araraquarense teria pela frente o Santos, que vinha de uma campanha arrasadora. A atuação das afeanas na partida de ida na Fonte Luminosa, que terminou com o empate por 2 a 2, fez elas ganharem da imprensa local o apelido que passou a ser utilizado desde então.

O que também passou a ser utilizado frequentemente foi o Estádio da Fonte Luminosa, que se tornou a nova casa da equipe, que nos últimos dez anos acumulou glórias memoráveis. A primeira delas foi o tetracampeonato paulista de 2013, conquistado com um empate por 1 a 1 com o São José, resultado que fez a equipe comemorar o título na Fonte.

Em 2014, o estádio foi palco de mais momentos emocionantes. O time araraquarense conquistou o título da Copa do Brasil com verdadeiros shows diante de sua torcida, como a vitória por 14 a 0 sobre o União Desportiva de Alagoas. Mas a conquista do Brasileirão Feminino daquele ano foi o momento em que a torcida abraçou de vez as Guerreiras Grenás, com a conquista do título em casa, com direito a muita festa na Fonte Luminosa. A façanha colocou a equipe na Libertadores de 2015, ocasião em que posteriormente voltaria da Colômbia com a taça.

Recentemente, a Fonte Luminosa voltou a receber a final do Brasileirão Feminino, dessa vez entre Ferroviária e Corinthians. Com um empate por 1 a 1 em Araraquara e um 0 a 0 em São Paulo, o time araraquarense levou a melhor nos pênaltis e ficou com a taça. A equipe disputa atualmente a Libertadores no Equador e já está garantida na competição continental de 2020, tendo assim a chance de coroar a década de ouro da modalidade na cidade.

 

Grandes na Fonte

Com a inauguração da nova arena em 2009, os grandes clubes paulistas ganharam outra alternativa para mandar seus jogos em casos de necessidade. A primeira partida que o modernizado estádio araraquarense recebeu foi válida pelo Paulistão de 2010, quando o Palmeiras empatou com o Rio Branco de Americana por 2 a 2, com mando da equipe do interior.

O Palmeiras, aliás, é o grande que mais atuou na Fonte desde sua reinauguração, com nove jogos, seguido de Corinthians com oito. O empate sem gols com o Cruzeiro, pelo Brasileirão de 2016, teve o maior público pagante do estádio, com 18.789 torcedores. Entre os jogos marcantes, a Fonte recebeu o clássico entre Corinthians e Santos, que terminou empatado por 1 a 1 pelo Brasileirão de 2013.

O estádio também recebeu jogos da Série B do Brasileiro, assim como treinos de equipes que disputam essa divisão.

 

Ferroviária invicta contra grandes

Um detalhe interessante é que a Ferroviária não perdeu nenhum jogo para os chamados grandes na Arena desde que voltou à elite estadual. Em 2016, o time araraquarense empatou por 2 a 2 com o Corinthians, time que no ano seguinte foi derrotado pela Locomotiva por 1 a 0. Em 2018, a Ferroviária empatou com o Santos por 2 a 2. Já em 2019 o estádio recebeu dois grandes: empate sem gols com o Palmeiras e empate por 1 a 1 com o Corinthians.

Últimos Vídeos

Carregando...

Charge

Publicidade

Publicidade

Arquivos

Publicidade