Select Page

Coronel Telhada e capitão Derrite fazem palestra sobre segurança pública em Araraquara

José Augusto Chrispim

Com a finalidade de transmitir com propriedade o verdadeiro propósito da segurança pública em âmbito nacional e estadual, da ótica de quem realmente entende e vive o dia a dia da segurança pública no Brasil, o ex-coronel da ROTA (Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar), Paulo Adriano Lopes Lucinda Telhada, ou simplesmente coronel Telhada, juntamente com o capitão da Polícia Militar, Guilherme Derrite, realizou uma palestra na noite dessa segunda-feira (3) no auditório do Hotel Confort, em Araraquara. O evento, de cunho beneficente, foi organizado pelo tenente da PM, Carlos Alberto Leopoldino, que trabalha na Baixada Santista, mas tem familiares em Araraquara.

Contando com a presença do comandante do 13º Batalhão da Polícia Militar, tenente coronel Adalberto José Ferreira, além de outras autoridades, o auditório ficou lotado de empresários e populares que esperam das autoridades soluções para a situação alarmante pela qual o país passa na segurança pública.

Especialista em segura pública e tento passado quase toda a vida na Polícia Militar, o coronel Telhada é uma figura muito conhecida da população paulistana devido aos inúmeros casos policiais que participou, que tomaram vulto nacional. Para o PM reformado, existem três pontos importantes que precisam ser valorizados para que a situação da segurança pública no Brasil melhore.

Em primeiro lugar, Telhada ressaltou a importância de uma reforma na legislação atual para que o policial tenha mais direitos e o criminoso seja penalizado por seus crimes. “A lei no Brasil permite que o criminoso não se sinta penalizado. Hoje em dia, tem bandido que é preso com um quilo de cocaína e é liberado na Audiência de Custódia. Do outro lado o policial, muitas vezes, acaba sendo penalizado por uma conduta mais enérgica durante a detenção do acusado. Isso não pode continuar assim”, disse.

Outro ponto importante citado pelo PM foi a valorização das forças de segurança. “As forças de segurança perderam muitos direitos nas últimas décadas. Os policiais precisam ser valorizados para que continuem prestando um serviço de qualidade à população”, ressaltou.

O coronel lembrou também que a cultura das pessoas em relação à polícia precisa mudar. “A população precisa mudar a ideia que tem sobre a polícia. O cidadão de bem tem que lembrar que o único parâmetro entre ele o bandido é o policial. O crime é uma opção, no meio da favela 95% das pessoas são trabalhadoras, mas sempre tem aqueles que escolhem viver no crime. As pessoas têm que fazer sua parte, tem que denunciar os criminosos e valorizar o trabalho do policial que, muitas vezes, dá a sua própria vida para defendê-las. Já matei muito bandido sim e não me arrependo, porque sempre foi no cumprimento do dever. Eram eles ou eu. O crime tem que ser combatido de frente, não de costas. Devido à legislação, atualmente existem cerca de 100 policiais da ROTA afastados das ruas, pois se envolveram em ocorrências que resultaram em mortes. Isso significa 25 viaturas fora das ruas todos os dias, isso tem que mudar. O Brasil precisa acordar. Vivemos tempos onde as pessoas ou grupos estão buscando as separações, precisamos de unificação, é hora de nos unirmos para combatermos o crime e buscarmos um país melhor para todos”, concluiu.

Geladeira Comunitária

Os participantes do evento doaram 1 quilo de alimento. Os alimentos arrecadados serão destinados à manutenção da Geladeira Comunitária, localizada em frente à Santa Casa de Araraquara, que atende aos pacientes do Centro de Oncologia.

Capitão Derrite em palestra no auditório do Hotel Confort

Últimos Vídeos

Loading...

Arquivos