Selecione a página

Animação é a marca registrada do Tio Ari

Com serviço completo, empresa traz novo conceito em animação de festas

Animação é a marca registrada do Tio Ari

Ariane Padovani

Animação é a chave para um evento de sucesso, seja ele casamento, aniversário de 15 anos ou confraternização de final de ano de uma empresa. E o ‘Tio Ari Animações e Eventos’ se encarrega de fazer da sua festa um grande sucesso com apresentações de palhaços e recreação infantil.

Ari Tchélio, de 21 anos, proprietário da empresa que leva o seu nome, entrou no ramo da animação após se formar na Escola Municipal de Dança Iracema Nogueira e começar a trabalhar como monitor de brinquedos em Buffets infantis. “Eu comecei a fazer aulas de dança com 10 anos por influência do meu pai, Carlos Henrique Fonseca, que é bailarino e hoje coordenador da escola. Eu o via dançar e pensava que um dia queria fazer o mesmo. A formiguinha da dança me picou, mas eu ainda não tinha me encontrado. Como sempre tive esse jeito para a dança, pegava as crianças e os pais durante as festas e dançava com eles. Foi onde percebi que já estava fazendo animação, apesar de ainda não ter me identificado como palhaço e animador. Era só para fazer uma brincadeira, mas quando fui ver já estava conhecido como a recreação do tio Ari e o nome pegou”, contou Ari.

Mudança de rumo 

 

Os empregadores de Ari fecharam a empresa de recreação e ele foi trabalhar na indústria, onde ficou por dois anos, o que o possibilitou juntar um dinheiro para empreender. “Na Iracema tinha uma roupa de palhaço e a vesti. E então deu um click. Eu não estava conseguindo um novo emprego e o meu pai sugeriu que eu fizesse recreação. Assim que fiz a página no Facebook as pessoas que conheciam o meu trabalho comemoraram que o tio Ari tinha voltado. Foi em um piscar de olhos. Em março de 2020 vai fazer três anos que abri a empresa. Quando consegui juntar mais um pouco de dinheiro comprei uma cama elástica e depois uma máquina de algodão doce. Foi uma brincadeira que virou isso tudo. Mas sempre teve base, principalmente do meu pai, da minha mãe, Maria Izabel Guimarães, e dos meus amigos. Eu não cheguei nesse patamar sozinho, sempre tive ajuda”, narrou Ari.

Negócio ampliado 

Atualmente a empresa de Ari conta com cinco palhaços e cinco monitores no Espaço Baby, recreação infantil e pintura facial. “O Tio Ari tenta abranger tudo, não só animação e recreação. Também temos brinquedo, algodão doce ou pipoca. Sempre tem uma coisinha a mais para as festas, eventos, reuniões ou casamentos que fazemos”, destacou o estudante de administração.

Durante esses quase três anos de empresa, Ari já passou por situações inusitadas, como ter que vestir a roupa de palhaço em um banheiro químico durante a Facira do ano passado, cair da perna de pau que usa durante os eventos, errar a casa do contratante, animar a festa de um famoso jogador de basquete, fazer uma criança perder a fobia por palhaços e se emocionar durante uma apresentação em um orfanato da cidade. “Tinha uma criança lá que se assustou quando viu um dos recreacionistas vestido de Pluto. Ela me abraçou com o coração disparado e eu não consegui manter o personagem, chorei junto com ela, porque criança é a alma mais pura que tem e não dá para entender quem a abandona. Borrou toda a maquiagem de palhaço e foi difícil voltar para o papel”, relembrou Ari.

Depressão

 

Ari já sofreu com a depressão e mesmo durante esse período difícil não deixou de levar alegria e risadas para quem o contratasse. “A única coisa que me ajudou mesmo a sair da depressão foi o palhaço. Quando a gente se veste de palhaço, tem que criar um personagem, então eu entrava nele. Eu amo fazer o Ramelanto porque eu esqueço tudo, eu deito, rolo, choro, dou risada, sou uma criança, é o meu descarrego. Quando eu coloco a maquiagem e o nariz de palhaço, sou outra pessoa. Mesmo cansado da correria do trabalho e da faculdade, é muito bom. É inexplicável a sensação de fazer o palhaço e a recreação infantil”, garantiu Ari.

Estudos

Ari está conciliando o trabalho na Indústria, para onde voltou, e as festas, geralmente realizadas aos finais de semana, com a faculdade de administração. “Eu cheguei a passar no processo seletivo da Unesp para fazer pedagogia e dar aula para crianças, mas optei por administração por causa da minha empresa, vai agregar bastante tanto nela quanto na minha vida, estou aprendendo bastante. Eu só tenho 21 anos, tenho muito o que aprender ainda, mas percebo que estou indo bem. Claro que ainda tem alguns erros, mas é errando que a gente vai aprendendo e corrigindo”.

Abrindo o leque

 

Ari está expandindo os negócios e abrindo, em sociedade com a amiga Fabiana Azevedo, a Let’s Party Decorações e Eventos. “É um novo conceito no ramo de decoração. Nasceu devido um desejo enorme de fazer parte dos momentos de alegria das pessoas e de ver a realização no rosto de cada uma. Queremos fazer o cliente se sentir especial, fazer com que cada festa tenha a sua identidade, cuidando de cada detalhe com perfeição”, revelou Ari. “O meu objetivo é que a pessoa tenha tudo em um pacote só: salão, Buffet, decoração e animação. Ela só acerta o que quer e vai para a festa. Quero que o lugar todo seja nosso. Começamos encaixando a Let’s Party no rumo do Tianimação, Tio Ari Animações e Eventos, palhaços, recreação infantil, Ari Tchélio Ari”, finalizou o empresário.

Últimos Vídeos

Carregando...

Charge

Publicidade

Publicidade

Arquivos

Publicidade