Selecione a página

Vereadores fiscalizam ETE após denúncias

Água com cheiro forte e espuma está sendo jogada no Ribeirão das Cruzes

Da redação
Na sessão da Câmara Municipal da última terça-feira (11), funcionários do DAAE (Departamento Autônomo de Água e Esgoto) levantaram questões graves que estariam acontecendo na Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) para a apreciação dos vereadores.
Na tarde dessa quinta-feira (13), um grupo formado pelos vereadores Édio Lopes e Donizete Simioni (PT), Juliana Damus (PP) e a assessoria do vereador Dr. Lapena (PSDB), visitou a estação para apurar as denúncias.
A reportagem do jornal O Imparcial acompanhou a fiscalização dos vereadores que constataram anormalidades nos aeradores, que são os equipamentos destinados a oxigenar a água na usina de tratamento do lodo, além de problemas nas câmeras de monitoramento de segurança e água sendo jogada no Ribeirão das Cruzes sem passar por tratamento.
“Ao todo são 32 aeradores e hoje todos estavam parados. Na quarta-feira (12), apenas 8 estavam em funcionamento. Uma empresa foi contratada em dezembro para dar manutenção nesse setor, o trabalho já deveria ter sido terminado e após nove meses, continua sem solução”, disse Édio, que também esteve na estação na quarta-feira (12).
Os vereadores receberam a informação de que a usina que trata o lodo, retirando a umidade para que possa voltar ao meio ambiente, fica mais tempo parada do que em funcionamento. A alegação é que há mais de um mês estão aguardando a chegada de uma peça para que volte à rotina de trabalho.
A vereadora Julina Damus diz que a situação é preocupante, primeiro pela água cheia de espuma e com cheiro muito forte que está sendo jogada no rio. Outra situação que chama a atenção é a segurança, funcionários disseram que o equipamento controlador queimou em 2012 e, desde então, as 14 câmeras de monitoramento não funcionam. Nesse caso se esclarece o furto de bobinas de fio de cobre e outros pertences que desapareceram da estação, mesmo ela contando com um segurança.
Para Simioni, as denúncias dos servidores do DAAE foram confirmadas. “Essa estação de tratamento sempre foi um orgulho para a cidade e o que vimos aqui não nos agradou, mas tomaremos medidas imediatas”.
O superintendente do DAAE, Guilherme Ferreira Soares, foi convocado para prestar esclarecimentos aos vereadores na próxima sessão da Câmara. Além disso, os vereadores pedirão à CETESB um laudo que informe qual a qualidade do esgoto que está sendo jogado no Ribeirão das Cruzes e, se é adequada ou não. Caso esse laudo comprove que o tratamento não está dentro das especificações, os edis acionarão o Ministério Público”.
O grupo de vereadores foi recebido pela gerente da ETE, Renata Lombardi e pelo coordenador da área, Weverton Campos.

Últimos Vídeos

Carregando...

Charge

Publicidade

Publicidade

Arquivos

Publicidade