Selecione a página

Projeto ‘Peruquinhas de Fios’ precisa de doações de lãs

Em um ano, grupo já entregou 2.600 perucas e toucas em seis hospitais que tratam o câncer infantil

Projeto ‘Peruquinhas de Fios’ precisa de doações de lãs

Ariane Padovani

 

O projeto ‘Peruquinhas de Fios’, que produz e distribui gratuitamente perucas de princesas e toucas com temas de super-heróis para crianças e adolescentes em tratamento contra o câncer, está precisando de doações de lã Mollet, pedrarias, fitas e lenços de qualquer cor para poder continuar levando autoestima e carinho para os doentes.

De acordo com a artesã Joanilda Pegoraro, fundadora do projeto, em pouco mais de um ano de existência e com cerca de 60 colaboradoras, já foram entregues um total de 2.600 perucas e toucas em seis hospitais que tratam o câncer infantil. Cada peruca precisa de seis novelos pequenos de lã para ser confeccionada e pesa 240 gramas.

“Fomos em Campinas nesse mesmo período do ano passado e voltamos semana passada. Fomos para Barretos, entregamos no GACC (Grupo de Assistência à Criança com Câncer), em São José dos Campos e no Santa Marcelina, de São Paulo. Eu aprendo muito com eles. São histórias que a gente tenta amenizar um pouco naquele dia, qualquer coisa que leve para eles, os deixam feliz. A gente chega e eles já sabem que alguma coisa vai acontecer”, contou Joanilda.

Regina Aparecida Favarin, protética aposentada e colaboradora do projeto, também falou sobre a reação das crianças com as visitas das voluntárias. “Quando vamos fazer a entrega, você chega no quarto e a criança está apática, quietinha. Aí você brinca, conversa, na hora que coloca a peruquinha, ela abre um sorriso. Você devolveu a autoestima para ela”, explicou a aposentada, que se juntou ao grupo para ocupar o tempo livre com algo útil.

O projeto começou a fazer também toucas com lenços para as mulheres, assim o grupo assistirá aos pacientes de todas as idades, já que dentro dos hospitais é muito frio. “Quando você está carequinha e o hospital está gelado, não tem nada melhor do que pôr na cabeça uma touquinha, um chapéu ou um lenço, já que as crianças não usam a peruca de cabelo tradicional”, enfatizou Joanilda.

Além de ajudar as crianças e os adultos que estão passando por essa fase tão difícil, a artesã ressaltou que o projeto faz bem para as próprias colaboradoras também. “É um grupo terapêutico, a gente está cuidando do corpo, da alma e da mente, porque você senta ali e conversa. É uma terapia”, afirmou.

 

Gorros para os idosos

Para reaproveitarem as lãs que sobram, Mariza de Freitas, colaboradora do projeto, começou a confeccionar gorros para entregar nos asilos da cidade. “A gente aproveita ao máximo toda doação que é feita. Lãs que não têm mais utilidade viram cachecol, xale, e se vamos a uma feira, a gente vende e compra lã com o dinheiro”, contou Mariza.

 

Naninhas

Romilde de Souza, outra colaboradora do projeto, começou a confeccionar travesseiros em tecido para distribuir para as crianças. “Quero fazer bonequinhas também para levar para eles”, contou.

 

O Projeto

O ‘Peruquinhas de Fios’ começou em fevereiro de 2018 por iniciativa da artesã Joanilda Pegoraro, que levou a ideia para as agentes comunitárias do Posto de Saúde da Família (PSF) do bairro Vale do Sol, onde reside. Muitas voluntárias se uniram à causa, incluindo pessoas que estavam em tratamento contra o câncer, e

m uma homenagem a professora Camila Mazzeu, que faleceu no ano passado em decorrência da doença. Os colaboradores se encontram na academia ao lado do posto toda segunda e quarta-feira e qualquer pessoa que quiser ajudar pode se juntar à causa.

As pessoas costumam perguntar para Joanilda se ela já teve câncer, por ter essa empatia com as pessoas que estão lutando contra a doença. “Não tive, mas eu acho que para você sentir o seu próximo, você não precisa viver o que ele está vivendo, basta você olhar”, salientou a artesã.

Cerca de 60 colaboradoras se dividem nas confecções, incluindo pessoas de fora da cidade. “É um conjunto de pessoas trabalhando para a gente chegar nesse resultado final. E é tudo doado”, destacou.

 

Reconhecimento

O ‘Peruquinhas de Fios’ ganhou uma data no Calendário de Eventos do Município de Araraquara: 29 de março, de acordo com a lei do vereador Cabo Magal Verri (MDB) sancionada pelo prefeito Edinho Silva (PT) no dia 10 de junho, na sala de reuniões da prefeitura. “A gente precisa de visibilidade, eu preciso da prefeitura, eu não tenho dinheiro, a gente faz o que está ao nosso alcance”, finalizou Joanilda.

 

Pontos de entrega de doações

Quem quiser doar lã Mollet, pedrarias, fitas e lenços de qualquer cor pode fazer a entrega nos seguintes estabelecimentos:
Maravilha Aviamentos, na Av. São Paulo, nº 368.
Aviamento São Lucas, na Rua Armando de Salles Oliveira, nº 355.
Armarinho Sensação, na Rua Maurício Galli, nº 1805.
Bazar Nossa Senhora Aparecida, na Av. José de Alencar, nº 410.

Facebook do ‘Peruquinhas de Fios’: https://www.facebook.com/PeruquinhasdeFios/

 

Últimos Vídeos

Carregando...

Charge

Publicidade

Publicidade

Arquivos

Publicidade