Selecione a página

Procurador da República defende patrimônio histórico de Bueno de Andada

MPF vai notificar o Município e dar ciência ao Condephaat sobre as responsabilidades atribuídas para preservação, conservação, manutenção e registros de tombamentos a serem atribuídos ao distrito rural de Araraquara

O publicitário Théo Bratfisch foi recebido no gabinete do Procurador da República, Dr. Gabriel da Rocha, para entrega de documentação para instrução do Inquérito Civil que se refere a “Parte 2 – Bens Imateriais”, quanto a salvaguarda dos bens culturais de natureza imaterial, solicitados pela superintendência do IPHAN/SP, que inclui um CD contendo vídeos comprobatórios relacionados à existência dos objetos relacionados no Processo, cumprindo-se o prazo de dilação concedido pelo MPF ao autor-requerente que protocolou a entrega do material a fim de que seja juntado nos autos do Processo e encaminhados à Colenda 4ª Câmara de Coordenação e Revisão do MPF para realização de nova perícia técnica, em contraponto à vistoria realizada pelo IPHAN no começo deste anoem Bueno de Andrada, com parecer desfavorável para tombamento dos bens materiais imóveis relacionados, com motivos justificados por critérios técnicos do Órgão de defesa do patrimônio nacional.

Da ciência
Com referência aos bens imateriais relacionados no mesmo Processo, já que não houve negativa peremptória de abertura de processo de instrução para registro, o IPHAN destacou a necessidade de que o pedido do requerente fosse instruído com documentos capazes de embasar suas pretensões com registros videográficos a serem encaminhados ao DPI/IPHAN – Departamento do Patrimônio Imaterial do IPHAN, informou o Procurador da República, entendendo-se o apontamento técnico do IPHAN para as responsabilidades desses registros pelo Município, tanto dos bens materiais, quanto imateriais. O Ministério Público Federal vai notificar o Município e dar ciência ao Conselho Estadual de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico-Condephaat sobre suas responsabilidades atribuídas para preservação, conservação, manutenção e registros de tombamentos dos bens materiais e imateriais relacionados em Inquérito Civil a serem atribuídos ao distrito rural de Araraquara.Por meio do Inquérito Civil, o MPF solicita parecer favorável do IPHAN para tombamento e registro de tombamento de objetos relacionados como patrimônio histórico, cultural e artístico a serem atribuídos ao distrito rural de Bueno de Andrada em Araraquara-SP, em se tratando de conhecimentos (bens imateriais móveis da humanidade) do homem do campo e em meio rural que ocorrem naquela localidade em comunidade. Estão relacionados no Processo como “Parte 1 – Bens Materiais” e “Parte 2 – Bens Imateriais”. Os Bens materiais relacionados para tombamento, são bens imóveis, considerados como edificações arquitetônicas, a Estação Ferroviária – datada de 1898 (prédio tombado em 2005 em lei municipal complementar) e as casas anexas na plataforma de embarque da Estação Ferroviária datadas da mesma época; Capela Sagrado Coração de Jesus – datada de 1926 e duas casas no entorno da centenária fazenda Horto de Bueno. Os bens imateriais relacionados para registro de tombamento, são considerados bens imateriais móveis (atividades culturais com resgate folclórico e de preservação das tradições e saberes rurais), a Festa do Padroeiro Sagrado Coração de Jesus datada de 1912; modos de fazer artesanal (rapadura, cachaça, comidas típicas à base de milho verde e compotas doces e conservas salgadas para recheios diversos de pastéis) e as danças típicas regionais (quadrilha junina).“Algumas das manifestações culturais e artísticas, relacionadas como bens imateriais e saberes rurais a serem atribuídos à Bueno de Andrada,acontecem em ambientes festivos promovidos com a realização do Festival Delícias do Milho(desde 2010), que apresenta comidas típicas à base de milho verde e o prato típico Trem de Milho, premiado dentre os trinta pratos que melhor representam a culinária caipira, caiçara e serrana do Estado de São Paulo, como também, o Festival do Pastel & Caldo de Cana (desde 2009), com variedade de recheios doces e salgados para pastéis, onde se destaca o quitute típico, Pastelito de Bueno- pastel no palito”, comenta, Théo Bratfisch, autor-requerente nesse Processo junto ao Ministério Público Federal.

Além do registro da ruralidade dos modos de fazer receitas culinárias, objetos relacionados como bens imateriais para registro de tombamento cultural junto aos Órgãos de defesa do patrimônio histórico, artístico e turístico, serão coletados junto a pequenos produtores da agricultura familiar e moradores antigos na localidade, suas histórias, relatos de experiências, supertições, lendas e cantigas, a serem descritas por homens e mulheres com vivência no meio rural, incluindo àqueles com pouca escolaridade, participantes do projeto Saberes Rurais & Ruralidade no distrito de Bueno de Andrada em Araraquara no Estado de São Paulo. O meio rural se torna obra de arte viva, resultante das características geográficas, dos fatos históricos e das influências culturais, onde se percebem cores, texturas, hábitos, costumes, história, memória e toda uma gama de detalhes que tornam sua paisagem muito significativa e a experiência turística muito enriquecedora, que promove a integração social entre visitantes e visitados, que formata produtos turísticos de qualidade capazes de contribuir para o desenvolvimento socioeconômico sustentável local e regional, criando-se áreas especiais e locais de interesse turístico. O escritor Ignácio de Loyola Brandão vai prefaciar os trabalhos dos trinta participantes do projeto de iniciativa do publicitário Théo Bratfisch e apoio da Tend Tudo Papelaria e Informática.“Vivemos um momento de transição, de sucessão do campo, da terceira geração. Das propriedades pequenas, médias ou grandes, fiando sem sucessores, pois com o tempo, o meio rural ficou menos atrativo. Neste momento em que a valorização da ruralidade e dos saberes rurais são o grande diferencial de um novo processo que se cria, elementos antigos chamam a atenção na atualidade e fazem com que as pessoas reflitam sobre a importância deles para toda sociedade. O resgate dos saberes rurais valoriza novas formas de se ver e vivenciar esse novo processo com suas indicações geográficas no campo, destacando-se produtos manufaturados e alimentos em geral, dentre outros serviços, com possibilidades de hospedagem turística. Neste momento em que a legalização do turismo rural chega com novas faces a serem desenvolvidas para fixar as pessoas no campo, a valorização desses conhecimentos e do modo de vida rural se torna imprescindível”, comenta sobre a iniciativa desse projeto, Andréia Roque, presidente do Idestur – Instituto de Desenvolvimento do Turismo Rural, interligado em rede transcontinental para o desenvolvimento e promoção do turismo rural, com membros representantes do Brasil, Espanha, França, Inglaterra, Itália e Portugal.

Últimos Vídeos

Carregando...

Charge

Publicidade

Publicidade

Arquivos

Publicidade