Selecione a página

Penitenciária realiza 3ª Jornada de Cidadania e Empregabilidade

Entre os dias 23 e 27, cerca de 1.500 detentos vão retirar documentos, assistir palestras e realizar exames médicos

Penitenciária realiza 3ª Jornada de Cidadania e Empregabilidade

Da redação

Milton Bolini, do MT, falou sobre empregabilidade

A Penitenciária Regional de Araraquara realiza entre os dias 23 e 27 a “3ª Jornada de Cidadania e Empregabilidade”. O evento que é estendido aos cerca de 1.500 detentos que se dividem entre a Penitenciária (950) e o Anexo de Detenção Provisória (650), proporciona uma série de serviços como confecção de documentos, palestras, atendimentos jurídicos, realização de exames médicos, entre outros.

A Jornada é um projeto da Secretaria de Administração Penitenciária do Estado de São Paulo realizado em todas as unidades prisionais estaduais, buscando parcerias com vários segmentos da sociedade a fim de propiciar uma vasta gama de atividades voltadas ao “homem preso”.

Titulo de eleitor

Atividades

Nessa terça-feira, 37 reeducandos retiraram títulos de eleitor e 100 carteiras de trabalho foram expedidas na unidade prisional. O gerente regional do Trabalho e Emprego de Araraquara, Milton Bolini, ministrou uma palestra para os reeducandos aonde abordou temas como confecção de currículos, direitos do trabalhador e a não obrigatoriedade de apresentação de antecedentes criminais em entrevistas de emprego.

“O sistema prisional decorre do mau funcionamento da sociedade que acaba mandando para a cadeia as pessoas que não se adaptam à vida em sociedade. Porém, a culpa não é só do Estado, mas também das próprias pessoas que não promovem a educação, não tem uma saúde de qualidade e, com isso, acabam gerando essa população carcerária. Cada um tem que fazer a sua parte”, opinou Bolini à reportagem de O Imparcial.

Além da retirada de documentos, os reeducandos participaram de palestras do Conselho Municipal de Políticas Sobre Drogas (Comad) e realizaram exames de glicemia, pressão arterial e testes rápidos de HIV.

Clube da leitura

Clube da Leitura

Desenvolvido na unidade há 3 anos, o programa organizado pela Fundação Professor Doutor Manoel Pedro Pimentel (Funap) denominado ‘Clube da Leitura’, tem por objetivo incentivar e aproximar o preso do universo literário como ferramenta no processo da cidadania.

O mediador do programa, Weid Nogueira Leandro, de 31 anos, relatou à reportagem que o PET – Programa de Educação Para o Trabalho e Cidadania, em conjunto com o Clube da Leitura, vem transformando os reeducandos e trazendo mais oportunidades de uma vida mais digna quando ele voltar à sociedade. “Aqui a gente aposta na mudança tanto pessoal como na dos companheiros que participam do projeto que, através da leitura, vem promovendo mudanças que nos levam à superação das dificuldades”, ressaltou Weid.

Já o monitor do Clube da Leitura, Jeferson André Martins, de 36 anos, exaltou o poder de mudança dos programas. “O programa desperta os sonhos que deixamos para trás quando entramos aqui, mas hoje sabemos que com a superação um dia poderemos vive-los, por isso, nunca devemos deixar de acreditar em nós mesmos”.

Cidadania

O diretor da penitenciária, Rodrigo Ronchi Redivo, ressaltou o trabalho desenvolvido por todos os funcionários da unidade e lembrou que o evento é uma forma de mostrar para a sociedade o esforço que é desenvolvido durante todo o ano. “A gente planta uma semente, mas os reeducandos têm que regar. Hoje eu vejo que esse trabalho está dando bons frutos. A nossa função aqui é recuperar o ser humano, ajudar os detentos a saírem daqui refeitos e reconstruírem suas vidas de forma digna e honesta. Quando vejo que um ex-detento conseguiu reconstruir sua vida fora daqui, conseguiu reconstruir sua família, vejo que nosso trabalho foi bem feito”, resumiu Redivo

Últimos Vídeos

Carregando...

Charge

Publicidade

Publicidade

Arquivos

Publicidade